Correio do Minho

Braga, quarta-feira

E agora é fevereiro

Sem Confiança perde-se a credibilidade

Ideias

2018-01-24 às 06h00

Aida Alves

e agora é fevereiro
cidade de árvores arrepiadas
[] José Manuel Mendes, in Setembro Outra Vez. Lisboa: Caminho, 2003.

Onome fevereiro vem do latim februarius, inspirado em Fébruo, deus da morte e da purificação na mitologia etrusca. A natureza parece-nos efetivamente muito arrepiada neste período, com muitas árvores despidas e troncos secos, com o castanho a dominar. Há uma renovação constante a decorrer ao nosso lado. A vida é feita de ciclos de vida e de morte. Mas as bibliotecas, essas, não podem nunca morrer. Com elas morreria o conhecimento armazenado e a parcela da vida humana que se cria na passagem do saber.
O mês de fevereiro é comemorado nas bibliotecas de leitura pública com actividades e temáticas muito diversas. As bibliotecas assumem permanentemente a missão de informar e passar conhecimento e competências em diversas áreas do saber. É um mês com muitos temas em destaque. Não julgue o leitor que o mês de fevereiro nos passa discretamente sem nos sibilar. Muitas dinâmicas acontecem. Do papel ao livro, do livro à leitura, da leitura à ação humana. E, da ação humana ao conhecimento comunicado e socializado, assim se constrói o saber.
E, em fevereiro, destacam-se algumas festividades, com lendas e tradições que passam pelo Carnaval e o Dia de S. Valentim. Dizem algumas fontes que o Dia de S. Valentim terá tido origem no século III d.C. Nesse tempo, o imperador romano Claudius proibiu que fossem realizados casamentos, para assim poder ter mais soldados nas suas legiões. Um sacerdote cristão da época, de seu nome Valentim, não cumpriu com este decreto imperial, e continuou a realizar os casamentos de todos os casais que lhe pediam. Quando o segredo foi descoberto, Valentim foi preso, torturado e condenado à morte. No entanto, e antes de morrer, conseguiu enviar e receber algumas cartas, enquanto estava na cela, o que terá dado origem à tradição de se trocarem cartões nesse dia. Os Lenços de Namorados, tão característicos do Minho são, neste mês, muito promovidos no concelho vizinho de Vila Verde. Também, no dia 2 de fevereiro, se destaca o Dia da Senhora das Candeias. Diz o povo, na sua sabedoria secular, feita de experiência da vida do dia-a-dia se a Senhora das Candeias estiver a rir está o Inverno para vir, se estiver a chorar está o Inverno a passar. Isto é, se no dia 2 de fevereiro estiver sol, é mau presságio, pois tal significa que ainda temos mais uns meses de invernia. Se nesse dia estiver a chover, significa que o mau tempo invernal está a passar. Popular ou não, é o conhecimento que devemos registar e fazer perdurar.
Existem ainda dias comemorativos que nos conduzem para áreas de abordagem mais técnica e científica. No início de fevereiro, dia 2, comemora-se por todo o mundo o Dia Mundial das Zonas Húmidas, evocando a criação, em 1971, da Convenção de Ramsar relativa à conservação e ao uso sustentável das zonas húmidas. A Convenção de Ramsar propõe o tema Zonas Húmidas para o nosso futuro Modos de vida sustentáveis, com o objetivo de destacar a importância das zonas húmidas e de apelar à participação pública na conservação destes ecossistemas. Lembre-se que os Objetivos da Agenda 2030 da ONU prevê um conjunto de objetivos que espelham a preocupação pela adoção de medidas pelos Estados, nesta área da Água, Vida na Terra, Saneamento, Ambiente e Sustentabilidade.
O Dia Mundial da Luta Contra o Cancro celebra-se logo a seguir, no dia 4 de fevereiro. O objetivo desde dia é desmistificar algumas das ideias pré-concebidas sobre o cancro e informar e sensibilizar para os fatos reais da doença. A celebração deste dia baseia-se na Carta de Paris, aprovada em 4 de fevereiro de 2000, na Cimeira Mundial Contra o Cancro para o Novo Milénio. A Carta apela à aliança entre investigadores, profissionais de saúde, doentes, governos e parceiros da indústria no âmbito da prevenção e do tratamento do cancro. As bibliotecas apoiam na disponibilização de fundo bibliográfico sobre este importante tema, que está em permanente investigação e descoberta pelos cientistas e que interessa a todos.
Outro assunto que tem suscitado algumas dinâmicas na última década, é o Dia da Internet Segura. Esta iniciativa é promovida pelo Governo, através do serviço @Internet Segura (https://www.internetsegura.pt/ ), para a qual têm sido chamados a contribuir um conjunto diversificado de parceiros ligados às áreas da educação, cultura e tecnologia/informática. Este ano comemora-se a 6 de fevereiro. Neste dia pretende-se sensibilizar a comunidade em geral para a utilização das TIC com maior segurança e sigilo.
O dia 21 de fevereiro foi proclamado pela UNESCO em 1999 e reconhecido formalmente pelas Nações Unidas como o Dia Internacional da Língua Materna. Ao comemorar o Dia Internacional da Língua Materna pretende-se proteger todas as línguas faladas no Mundo, honrando tradições culturais e respeitando a diversidade linguística. Se as projeções demográficas das Nações Unidas estiverem certas, em 2050 haverá cerca de 387 milhões de lusofalantes em todo o mundo. Até final do século esse número deverá aumentar até aos 487 milhões. A Língua Portuguesa é neste momento utilizada por 261 milhões de pessoas, sendo a quarta língua mais falada no mundo, atrás do mandarim, do espanhol e do inglês.
Este conjunto de efemérides em fevereiro faz com que o nosso próximo mês não seja árido de conhecimento e de dinâmicas. Seja agente ativo e participe nas muitas ofertas que as bibliotecas lhe propõem.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.