Correio do Minho

Braga, segunda-feira

Dinheiro (notas) tintado, descolorado ou colado

A Europa paga aos agricultores para não produzirem?

Escreve quem sabe

2018-10-20 às 06h00

Fernando Viana

Um dos crimes bastante noticiado, aliás, pelos mass media tem sido o assalto a carrinhas de valores, máquinas multibanco ou malas de transporte de dinheiro. Alguns destes roubos são feitos recorrendo a muita violência, fazendo explodir as máquinas multibanco com recurso a gás, causando assim bastante prejuízo nos locais em que estes equipamentos se encontram instalados e pondo em risco a integridade física de moradores e pessoas que inadvertidamente passem nos locais no momento da explosão. Não sendo fácil acabar com este tipo de atividade criminosa, as autoridades, bancos e empresas de transporte de valores têm procurado desenvolver sistemas que dissuadam os criminosos da prática deste tipo de crime, bem como impeçam a concretização do velho adágio popular “o crime compensa”. Os sistemas mais vulgares passam pela instalação de mecanismos de inutilização do dinheiro furtado, seja pela tintagem das notas, ou como também acontece pela sua colagem.

Contudo, muitas vezes os criminosos que estão na posse dessas notas tintadas ou coladas tentam introduzi-las no mercado, comprando bens ou tentando a sua troca. Na eventualidade de ter na sua posse uma nota tintada ou descolorada convém ficar ciente de que não é possível trocar uma nota tintada por um sistema inteligente de neutralização de notas. As notas danificadas por estes sistemas são apenas trocadas ao seu proprietário original, vítima do crime.
Deste modo convém que as pessoas se encontrem devidamente alertadas para o facto de uma nota tintada ou descolorada ser muito provavelmente uma nota roubada. O mesmo acontece com um maço de notas coladas umas às outras.
As manchas de tinta em notas podem resultar da atuação de sistemas inteligentes de neutralização de notas.

Os sistemas inteligentes de neutralização de notas são mecanismos de segurança instalados em caixas automáticos (os ATM) ou em malas de transporte de dinheiro, que marcam ou destroem parcialmente notas na sequência de tentativa de roubo ou furto.
Quando a nota tem manchas de tinta introduzidas por sistemas inteligentes de neutralização de notas, a tinta fica, em geral, mais concentrada nos extremos da nota. Normalmente, a tinta flui dos extremos para o centro da nota produzindo um padrão caraterístico. As cores mais comuns das tintas de segurança são violeta, verde, azul, vermelho e preto.

Por vezes, os criminosos tentam remover as manchas da tinta de segurança por lavagem ou com recurso a produtos descolorantes. É por esta razão que deverá igualmente recusar notas com aspeto descolorado.
Embora a maioria dos sistemas inteligentes de neutralização de notas inutilizem as notas por tintagem, há outros que usam cola para unir as notas em bloco, de forma permanente e irreversível. A remoção de uma nota do conjunto não é possível sem que a nota se rasgue em pequenos fragmentos. Se alguém tentar entregar-lhe um maço de notas nestas condições, também deve recusá-lo.
Se, inadvertidamente, estiver na posse de uma nota tintada, dirija-se às autoridades policiais ou às tesourarias do Banco de Portugal. Também poderá dirigir-se ao seu banco, que a encaminhará para as autoridades competentes.

Deixa o teu comentário

Últimas Escreve quem sabe

10 Dezembro 2018

Como sonhar um negócio

09 Dezembro 2018

Macron - Micron

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.