Correio do Minho

Braga, segunda-feira

- +

Dia Internacional Sem Sacos de Plástico

Nelinha

Dia Internacional Sem Sacos de Plástico

Escreve quem sabe

2019-06-29 às 06h00

Ana Cristina Costa Ana Cristina Costa

O Dia Internacional Sem Sacos de Plástico ocorre a 3 de julho. O objetivo da data é chamar a atenção para a produção e para o consumo excessivo de sacos de plástico a nível mundial, propondo-se alternativas para resolver este sério problema ambiental.
Calcula-se que um cidadão europeu consome anualmente cerca de 500 sacos de plástico, que acabam no lixo ao fim de menos de meia hora de utilização, ou então no ambiente, criando-se vastas ilhas de lixo plástico nos oceanos (segundo um Estudo UNEP - UN Environment Programme and Ocean Conservancy - 80% da poluição marinha é causada pela libertação de resíduos plásticos). Como os animais confundem o plástico com alimentos, acabam por morrer pela sua ingestão ou por eles aprisionados e/ou asfixiados.

Para além do consumo de recursos, o uso insustentável de sacos, potenciado pela falta de valor que o consumidor lhe atribui pelo facto de este lhe ser oferecido, leva a que aos mesmos não seja dado o fim adequado.
Os sacos de plástico são constituídos por derivados tóxicos do petróleo e levam, calcula-se, cerca de 500 anos a decompor-se. Apesar da gravidade da situação, apenas 2% da população envia para a reciclagem os sacos plásticos.

Assim, cada um de nós deve fazer um esforço para preservar o ambiente, levando sempre o mesmo saco plástico para as compras, enviando para a reciclagem os sacos plásticos ou utilizando sacos de papel ou de algodão, etc.
Portugal posicionou-se por forma a responder às exigências europeias de reduzir o uso de sacos de plástico leves em 50% até 2017 e em 80% até 2019. No arranque de 2015, a lei da reforma da fiscalidade verde introduziu uma taxa de 0,10€ por cada saco de asas em plástico o que provocou uma forte mudança dos hábitos dos portugueses, que começaram a levar os seus sacos de casa e a reutilizá-los. Consequentemente verificou-se uma redução em cerca de 50% da compra de sacos de plástico nos supermercados.

Nos últimos anos, o uso de sacos de plástico leves (com espessura <5mm) tem diminuído substancialmente com a aplicação da legislação europeia, aplicando-se uma taxa adicional sobre a sua utilização, mas ainda há muito a fazer, quer ao nível da educação ambiental, quer ao nível da reciclagem deste tipo de materiais.
A sensibilidade dos portugueses para estas temáticas tem aumentado, começa a existir uma maior envolvência, participação e procura por alternativas aos plásticos.

Para tentar mobilizar a opinião pública para este problema a Quercus tem realizado diversas campanhas e já desafiou os portugueses a tentarem viver 40 dias sem plástico. Agora neste Dia Internacional Sem Sacos de Plástico pede aos Portugueses que tragam o próprio saco de compras de casa.
Portugal não pode ficar indiferente a este problema, até pela dimensão de costa que possui! É fundamental apostar na sensibilização para a redução do uso de descartáveis, aliada a políticas ambientais que limitem a utilização destes materiais, uma maior diferenciação dos produtos cuja conceção promova a incorporação de matérias-primas recicladas e a promoção da separação e reciclagem dos lixos, sem as quais não haverá Economia Circular em Portugal.

Como comemorar esta data?
- Diga não aos sacos descartáveis.
- Pegue seu próprio saco de pano ou de papel quando for fazer compras.
- Se tem jeito para a costura, faça o seu próprio saco e leve-o sempre consigo.
- Torne-se voluntário de uma organização ambiental que trabalhe na limpeza de linhas de água e recolha de sacos plásticos.
- Envie para a reciclagem todos os resíduos de plástico da sua casa e escritório.
- Espalhe a palavra pela sua família e amigos.
- Se é o proprietário de uma loja, inicie um programa para incentivar os seus clientes a trazerem os seus próprios recipientes reutilizáveis e pare de oferecer sacos plásticos.
O problema chegou a tal ponto que o que antes era areia limpa nas praias do mundo tem agora, além das componentes naturais, muito lixo de plástico. Confira da próxima vez que for à praia. Veja de perto os grãos de areia!

Deixa o teu comentário

Últimas Escreve quem sabe

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.