Correio do Minho

Braga,

De regresso, renovados!

Verdade ou consequência

Voz às Escolas

2017-09-11 às 06h00

Maria da Graça Moura

A paragem no final de cada ano letivo é, além de merecida, fundamental para um novo recomeço. Em cada setembro, alunos, professores, assistentes operacionais e técnicos, regressam à escola com um novo ânimo, um novo fôlego, prontos a desenvolver novas aprendizagens, a acolher novos saberes. É um crescer contínuo, renovado após cada interrupção!

A treze de setembro, os caloiros serão recebidos com alegria no Agrupamento André Soares. As crianças do pré-escolar e os caloirinhos do primeiro ano de escolaridade serão recebidos pela sua educadora ou pelo seu professor. Os alunos que frequentarão o quinto ano serão recebidos pelo professor do quarto ano que os acompanhará até ao novo diretor de turma. Serão informados do funcionamento da sua nova escola, dos materiais a utilizar, dos procedimentos, das regras, dos comportamentos e atitudes, dos direitos e deveres. Conhecerão os seus novos colegas, iniciarão um novo caminho.

E é pensando neste caminho, que queremos seja de sucesso, seja um percurso que contribua para um desenvolvimento saudável, que nos preocupamos com a organização pedagógica das escolas do Agrupamento.
…sabendo-se que a diferenciação pedagógica é um dos principais instrumentos para garantir melhores aprendizagens é fundamental que as escolas tenham à sua disposição instrumentos que lhes permitam gerir o currículo de forma a integrar estratégias para promover melhores aprendizagens em contextos específicos e perante as necessidades de diferentes alunos, segundo o preâmbulo do Despacho nº5/2017, de 5 de julho.

Eis o primeiro argumento para a flexibilização curricular. Nos primeiros, quintos e sétimos anos de escolaridade, vamos experienciar, ainda que numa pequena parte, a gestão do currículo. Reconhecendo as fragilidades e potencialidades de cada grupo/turma, cada equipa pedagógica promoverá estratégias de superação, ou de desenvolvimento, em torno de projetos que potenciam a articulação e o envolvimento.

Facilitador do desenvolvimento harmonioso é, sem dúvida, o cumprimento de regras. Cada sala de aula é um espaço riquíssimo de interações. São muitos alunos, cada um deles trazendo um percurso, um conhecimento, um entendimento muito próprio da realidade, assimilado no seu contexto familiar e social. A vida escolar obedece a regras de convivência e a formação dos alunos não se completa sem o saber ser e o saber estar. É imperioso que os comportamentos sejam adequados, que o ambiente em sala de aula seja de participação ordenada, de respeito pelo outro, de saber aceitar a diferença e a diferente opinião. É fundamental para o desenvolvimento de reais aprendizagens que os alunos se sintam confiantes e seguros. O papel das famílias é essencial. É no seio familiar que se adquirem os princípios. Se o aluno sentir que a sua família respeita a escola, ele a respeitará também.

Queremos formar pessoas que valorizem o respeito pela dignidade humana, pelo exercício da cidadania plena, pela solidariedade para com os outros, pela diversidade cultural e pelo debate democrático e que rejeitem todas as formas de discriminação e de exclusão social (Perfil do aluno do séc. XXI)
A toda a Comunidade Escolar desejamos um enriquecedor ano letivo 2017/2018!

Deixa o teu comentário

Últimas Voz às Escolas

21 Fevereiro 2018

A Verdade da Mentira!

19 Fevereiro 2018

Deslumbramentos do olhar

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.