Correio do Minho

Braga, sexta-feira

- +

COVID-19 - Ocupar o tempo

A saia comprida

COVID-19 - Ocupar o tempo

Escreve quem sabe

2020-03-22 às 06h00

Joana Silva Joana Silva

Vivemos tempos de angústia e de medo que nos leva ao limite da nossa energia. Sentimos o impacto de um vírus COVID-19 que veio mudar as nossas vidas. Um vírus perigoso que deixa um caminho de destruição irreversível, com consequências avassaladoras para todos/as e para o mundo. Proteger a saúde (seguindo as recomendações de saúde) e ficar em casa são as palavras de ordem! Não saia, proteja-se! Por si e pelos seus, sendo o isolamento necessário e imperativo. Pessoas muito ativas profissionalmente e/ou socialmente podem ter mais dificuldades em gerir emocionalmente as emoções, ficando assim mais vulneráveis à ansiedade (desconforto físico parece que “claustrofobia”, alterações do padrão do sono) e a pensamentos menos positivos. Respire, esta situação não vai durar anos. Quanto mais formos responsáveis pela nossa saúde (ficar em casa) mais rapidamente voltaremos à “normalidade” do dia-a-dia. Há pausas na vida que também tem um valor significativo impacto para a nossa saúde. Faça uma retrospetiva da última vez em que teve tempo para si. Vidas profissionais muito intensas, fazem com que se esqueça do que é realmente relevante na vida. Aproveite este tempo para ser criativo, por si e para si. Faça coisas que sempre gostou e que lhe escasseava o tempo. Faça uma calendarização semanal e cumpra-a à risca. Certamente que outrora já disse, “Quando eu tiver um tempo, vou fazer uma limpeza geral a isto tudo.” Esse tempo chegou agora! É importante, não alterar as rotinas. Continue a deitar-se e a levantar-se à mesma hora. Vista-se como habitualmente iria se fosse trabalhar para o exterior, e quem lhe disser que não faça, incentive esse alguém a fazer o mesmo. Capriche ainda mais no seu visual, fique bonito/a para si. As rotinas são as mesmas só que “adaptadas”. Trabalhe a partir de casa. Reserve um cantinho na sua casa para o efeito, transformando-o num escritório onde cumpre o horário habitual. Continue a praticar exercício físico ao som bem alto daquela musica especial (a musica tem um poder enorme de bem-estar). Disponha também na sua casa um cantinho para o efeito. Aproveite para aprender um idioma diferente, ou a confecionar um parto culinário que sempre quis. Fale muito com os seus amigos/as, seja por telefone seja por redes sociais, sobretudo quando se sentir mais triste ou mais deprimido. Evite conversas tristes, fale sim daqueles momentos mais caricatos e insólitos que viveu na companhia desses amigos. As memórias boas têm um efeito calmante. Não obstante, outra faixa etária que pela sua energia contagiante e única que merece uma especial atenção neste momento pelo qual se atravessa, são as crianças. As crianças têm o dom de alegrar uma casa. Neste fase, os pais devem ser mais tolerantes e mais pacientes sobretudo com os /as meninos/as que sofrem de hiperatividade. Pense apesar de cansado/a, a sua casa seria tão feliz sem os seus meninos/as? Não pois não. As crianças são vida. Pense antes de dizer, algo menos positivo ao/á seu/sua filho/a quando está stressado/a. Caros pais, criança que é criança e se for feliz tem de ser energética. Acredite que uma criança que não seja energética é mau sinal. Que tipo de atividades pode fazer com as crianças? A título sugestivo pode fazer uma calendarização semanal das atividades. Visionar filmes apenas não é suficiente. É necessário atividades estimulantes. Voltando à calendarização, para cada dia uma área. Nas manhãs pode preencher, ocupando com a realização das tarefas domésticas, já as tardes podem ter alternativas diferentes. Já pensou na tarde da expressão plástica onde se trabalha a criatividade, a pintura e o desenho e reserve um cantinho na casa para expô-los. Já pensou pedir ao seu filho para desenhar o que mais está a gostar de fazer ao estar em casa? Vai ficar surpreendido/a. As crianças não têm uma visão tão negativa por estarem em casa. Estipule a tarde da expressão musical, através de atividades como dançar e cantar musicas, tocar um instrumento, compor/inventar letras e músicas. Calendarize uma tarde de jogos tradicionais. Se porventura não tiver nenhum, faça você mesmo com as crianças. Por exemplo, construir um dominó em cartão. A internet tem vários exemplos. Desenvolva a tarde em que a expressão dramática tem lugar. Uma peça de teatro, em que a criança é convidada a inventar e a narrar uma história e que as personagens mais emblemáticas são fantoches feitos a partir de meias velhas. É importante desenvolver o otimismo, crie um serão de anedotas. Rir alivia a ansiedade. Pode também desenvolver a tarde da culinária, onde pode pedir ajuda das crianças para fazer umas bolachas ou um bolo.
Para terminar, siga as recomendações, cuide de si e dos outros. Fique em casa. Um agradecimento muito especial a todos/as os que tem zelado pela nossa saúde e bem-estar.

Deixa o teu comentário

Últimas Escreve quem sabe

28 Junho 2020

Verbos traiçoeiros

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho