Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +

COVID-19, Melhor Meio Ambiente e Especulação Inqualificável

A Biblioteca Escolar – Um contributo fundamental para ler o mundo

COVID-19, Melhor Meio Ambiente  e Especulação Inqualificável

Ideias

2020-04-15 às 06h00

Pedro Machado Pedro Machado

Esta situação de pandemia está-nos a fazer mudar de hábitos. A Natureza está de facto, com valores de qualidade que nunca estiveram. Assistimos aos leitos de rios e ribeiros límpidos, o ar é muito mais respirável e a natureza apresenta-se de boa saúde.
Lamentavelmente é necessário haver uma paralisia da economia para melhorarmos o meio ambiente.
As pessoas passaram a reciclar mais, a colocar as embalagens nos ecopontos e, paralelamente, a fazer menos resíduos. As quantidades de reciclagem aumentaram em relação ao ano transato cerca de 8%, enquanto que os resíduos indiferenciados só aumentaram 3%, registando uma queda de 7% em relação ao ano anterior.
De facto, nota-se que cada vez mais as pessoas, com esta paragem obrigatória, aproveitaram para cuidar mais o meio ambiente.
Apesar de a maioria dos portugueses, através de donativos em espécies, ou em dinheiro , ter demonstrado grandes atos de solidariedade e de união, porém, a pandemia trouxe-nos também, pontos muito negativos!
Falando daquele que me é muito pessoal, a proteção das pessoas, não consigo deixar de me revoltar com a especulação desmesurada nos preços dos equipamentos de proteção individual (EPI’s).
Gel desinfetante, álcool, máscaras de proteção, equipamentos que anteriormente eram adquiridos por cêntimos, vergonhosamente, estão a ser comercializados por dezenas de euros.
Deveria aqui, haver uma maior atenção das entidades reguladoras, para garantir maior tranquilidade da população, e para que as pessoas não se sintam vergonhosamente exploradas. Os preços deveriam ser tabelados, havendo uma regulação efetiva, pelo menos enquanto durar esta situação de pandemia.
Quando a prática de especulação económica é um crime, em alguns casos com penas pesadas, temos que exigir às entidades fiscalizadoras que estejam mais atentas, pois esta especulação quanto a mim, quase criminosa, é irreal.
A BRAVAL, devido à sua atividade de valorização e tratamento de resíduos sólidos, para a recolha selectiva e triagem dos resíduos, adquire há décadas, anualmente, cerca de 5000 máscaras FFP2, máscaras essas, que na última aquisição em Janeiro p.p., cada caixa com 10 máscaras, tinha um custo de cerca de 4,50€.
Não faz sentido, que em tempo de pandemia, e uma vez que não houve alteração ao preço de produção, a mesma caixa, com as mesmas 10 máscaras, tenha um custo de 89€.
Salvar negócios aproveitando-se do pânico das outras pessoas, é na minha opinião, inqualificável.

Deixa o teu comentário

Últimas Ideias

30 Novembro 2020

Um Natal diferente

29 Novembro 2020

O que devemos aos políticos

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho