Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +

Confinado e … cada vez mais “lixado”!

Plano, Director e Municipal …

Confinado e … cada vez mais “lixado”!

Ideias

2020-05-16 às 06h00

Borges de Pinho Borges de Pinho

Para não dizer outra coisa, de uma forma mais expressiva no seu mais profundo significado, ainda que correndo o risco de ser “escorraçado” do grupo dos que usam com decência o discurso escrito e expressam suas ideias de forma independente e livre, e ir engrossar o grupo dos “jornaleiros”, jornalistas, “escribas” e … “fariseus”, bem numerosos à volta do “rei” Costa e sua corte, a quem continuamente bajulam, apresentam o microfone e filmam. Quase todos, note-se, “embrulhados” em sinuosidades, “minados” por morbidades, vivendo truncadas verdades e “mentirinhas” convenientes, e envoltos em números duvidosos.
Aliás neste período de pandemia, confessamos que já nos saturam os painéis do SNS à hora do almoço e não temos pachorra para ouvir as “novas” e os comentários dos painelistas. Dos habituais e dos que surgem de novo, porquanto já temos os ouvidos cheios de máscaras, gel, equipamentos de proteção, ventiladores, etc., e dos pareceres e palpites de epidemiologistas, virulistas, interistas, analistas, técnicos e estudiosos, quando afinal ninguém sabe nada de nada, nem a verdade. Quanto aos números, face ao que já se viu, correções feitas e explicações dadas, é óbvio que a Graça e a Temido não oferecem garantias pois a primeira, como confessou no programa da Cristina, nunca se deu bem com o Palma Fernandes e até precisou de umas explicações dum colega, e a Temido, pelo que se percebeu na altura da sua luta com os enfermeiros, também não é muito segura em números, pois ainda não esquecemos as discórdias, estórias e ”bocas” sobre números, tidos como falsos.

Mas adiante! Estamos frente “a gente que não presta”, como um certo socialista conhecido há dias escrevia a respeito de outros nos seus desvarios e derrapagens partidárias, mas é inquestionável que neste tempo de pandemia têm havido muitos atropelos ao bom senso, à prudência, muita falta de contenção em atos e palavras, demasiada flatulência oral, tonterias, abrilismos, entusiasmos sindicais, e “vozes” de “encapotados” democratas, de inteligentes “parvos” e de pretensos “mestres escola”, para além de “muito pontapé” no cascalho e tropeções. O Marcelo e o Ferro, que sabem do que escrevo, querem à viva força afirmar-se democratas e “expulsar” passados, mesmo contrariados e com “máscara” na cara, mas geriram mal os festivais do 25 de abril e do 1º de Maio, tal como esteve mal a loira “Arménia” da CGTP e o Jerónimo. E houve “barulhos” e “embrulhos” , e muitos comentários, como aliás aconteceu com a “bronca” do 13 do Maio face à não preparada e parlapatona Temido na entrevista do Guedes de Carvalho, mas isto só acontece porque somos governados por quem não tem estaleca para tal e sofre de uma gritante ausência de bom senso, o que aliás “casa” muito mal com convencimento, vaidade e os “laçarotes” dos cargos. Há muita gente nova e inexperiente no governo, sem “peito” para assumir e resolver os problemas, e depois dão “raia” quando querem compor o que disseram, como distinguir entre peregrinos e celebrantes e entre festivais e festas políticas. Depois, sem pudor, dizem-se pasmados com a atitude da CGTP no 1º de Maio e aprovam a festa do Avante.

Aliás tudo isto acontece face à gente que temos, nos governa, e que “não presta”, como dizia o tal “artista” de sinuosas “passeatas” pela política “rosa” em relação a outros mas esquecendo os seus próximos, como os fariseus, sendo que são muitos os que em plena pandemia, só querem aproveitar o momento para se exibir, tirar algum proveito, mostrar solidariedade, etc., e vídeos. Na verdade, impondo-se total transparência nos negócios do Estado e autarquias, “cheira” mal a questão dos testes pela ALS em Viseu e zona centro a acreditar nas palavras do presidente da câmara (Almeida Henriques) e na “sugestão” do Secretário de Estado João Paulo Rebelo, indicando para tal o ALS do Dr. João – Cotto, seu antigo sócio no negócio dos mirtilos, tal como “cheiram” mal os ajustes diretos do SNS no valor de mais de 88 milhões, feitos com certa ligeireza e quase pela calada, com os “fornecedores” de equipamentos de defesa individual Luz Saúde, Sonae e João Cordeiro, do PS (que são tão só “intermediários” e que algum do material é só para 2021, note-se!). Aliás não há problema que de acordo com a lei, nos termos corretos e face às necessidades se façam ajustes diretos, impondo-se só que tudo seja devidamente publicitado e com total transparência, evitando-se assim “negociatas” e os “jeitos”, e os comentários e os boatos habituais. Aliás, parece andar tudo à balda, e cada um diz e faz o que quer.

O Centeno, nas costas do Costa, e com uma auditoria ainda em curso no Novo Banco, lá injectou uns 850 milhões à socapa com o primeiro ministro a ser o último a saber, e o PS, com o Lacãozinho, à frente, há muito “sinalizado” como um profissional “sabido” e presidente da Comissão de Ética do Parlamento, lá conseguiu meter a deputada Cláudia, que presidira à comissão de instrução de inquéritos da Liga num período conturbado do futebol. Para aumentar o “ruído”, vai substituir o Meirim, sabendo-se que é uma doente contra o Porto e num momento em que pululam processos contra o Benfica, ela que deu pareceres no processo do Sócrates e deve ser colega do prof. universitário Farinho, que lhe escreveu o livro. Uma deputada do PS no Futebol é, no mínimo, para “baralhar” e “confundir” tudo.

Deixa o teu comentário

Últimas Ideias

30 Novembro 2020

Um Natal diferente

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho