Correio do Minho

Braga, segunda-feira

Como prevenir uma crise de Gota

Deslumbramentos do olhar

Voz à Saúde

2017-12-19 às 06h00

Joana Afonso

AGota é uma das doenças reumatológicas mais prevalentes no mundo e resulta da deposição de cristais de ácido úrico em várias partes do corpo como as articulações, camadas da pele e o rim. Afeta até sete vezes mais o homem que a mulher, aparecendo, geralmente, a partir dos 40 anos no sexo masculino e dos 60 anos no sexo feminino. Nem todas as pessoas com níveis aumentados de ácido úrico desenvolvem crises de Gota, sendo o risco maior quando associado a quadros de excesso de peso e obesidade, de hipertensão arterial, de diabetes, de aumento dos triglicerídeos ou de insuficiência renal.

Também o padrão alimentar pode predispor a uma crise em caso de consumo de marisco, peixes como o arenque, o salmão ou o atum, carnes vermelhas como carne de vaca ou porco, ainda a carne de ganso ou peru, alguns legumes como espargos, couve-flor, espinafres ou cogumelos além de bebidas açucaradas (bebidas com gás ou sumo de frutas) e ainda bebidas alcoólicas, com especial destaque para o consumo de cerveja.

A Gota evolui, inicialmente, numa fase aguda com crises de inflamação das articulações, intercaladas com períodos sem sintomas. Instala-se rapidamente em 6 a 12 horas com sinais inflamatórios exuberantes (dor, aumento da temperatura local, rubor e tumefação), sendo as articulações dos membros inferiores as mais afetadas, nomeadamente no 1º dedo dos pés, tornozelos e joelhos. Pode resolver espontaneamente, mas, na ausência de tratamento, prolongar-se-ia, de forma sintomática, por uma a duas semanas. Com a ajuda do seu Médico de Família e o início da terapêutica adequada as crises são encurtadas e os sintomas controlados.

Quando os níveis de ácido úrico permanecem elevados durante anos surgem os tofos gotosos que chegam a afetar os ossos, além da pele e articulações, atingindo, entre outras partes do corpo, os pavilhões auriculares, o antebraço, o tendão de Aquiles e os dedos das mãos e pés.

Desta forma, o tratamento passa por controlar as crises de forma aguda, além de baixar os níveis de ácido úrico, de forma mais prolongada, ou mesmo para a vida toda. Importa salientar a importância de, durante os períodos sem sintomas, ingerir, pelo menos, 2 Litros de fluídos, sendo evitadas as bebidas açucaradas ou de teor alcoólico, além de seguir uma dieta equilibrada privilegiando o consumo de frutas, vegetais, cereais e derivados do leite pobre em gordura. Igualmente crucial é manter um peso adequado, evitando períodos de jejum prolongados e ganho ou perda de peso num curto espaço de tempo.
Lembre-se, cuide de Si! Cuide da Sua saúde!

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.