Correio do Minho

Braga, terça-feira

Benefícios de ter um animal de estimação

“Novo tabaco” mata 600 mil crianças por ano

Escreve quem sabe

2013-06-16 às 06h00

Joana Silva

Costuma-se dizer que o melhor amigo do homem é o animal de estimação. Na infância, seja qual for a idade, uma grande maioria das crianças interpela os pais para a inclusão de um ‘novo membro na família’. Alguns pais, encaram a ideia como normal e acedem ao pedido, todavia, outros nem por isso, interrogando-se quem é cuidará, também os encargos nas despesas da alimentação e idas ao veterinário entre outros aspectos.

Pode dizer-se que apesar de todas as reticências atrás referidas, ter um animal de estimação pode tornar-se numa experiência fantástica e maravilhosa com muitos ganhos positivos na saúde física e mental e igualmente ser um facilitador das relações sociais.

Os animais de estimação transmitem amor e afecto incondicional. Favorecem assim o processo de desenvolvimento da criança, permitindo o desenvolvimento da auto - estima, de sentimentos como a alegria e a tristeza, o comprometimento, responsabilidade, a compreensão e a frustração. Um animal de estimação pode ser um óptimo interveniente social facilitando a aproximação de pessoas.

Por exemplo, pode acontecer ser interpelado por pessoas, durante uma caminhada ou passeio na companhia do animal de estimação, que o acarinham e exprimem o quanto é bonito, fomentando assim o dialogo. As peripécias e aventuras do animal de estimação também costumam ser tema de conversa em muitos contextos sociais e de lazer, frequentemente numa ida ao café por exemplo.

Estudos desenvolvidos na relação entre pessoas e animais indicam também que o acarinhar diariamente um animal de estimação ajuda a reduzir os níveis de ansiedade. Não obstante, também o contacto diário , reforça o sistema imunitário das crianças, nomeadamente, no que respeita às alergias.

Importa também referir que os animais de estimação são bons ouvintes. Por forma a clarificar, tome-se como exemplo um adolescente que conversa sobre os seus medos e preocupações, sem quaisquer julgamento com o seu fiel amigo de quatro patas como se de uma pessoa se tratasse. Trata-se de facto de ‘uma terapia’ sustentada num suporte emocional de uma afeição incondicional. São conselheiros e talvez dos melhores, porque nunca dão más recomendações. Os animais de estimação para além de proporcionarem muita alegria, ajudam no desenvolvimento físico das crianças pois não dispensam uma boa brincadeira, como ir atrás da bola, saltar e correr, passear etc.

Por fim, importa ressalvar que os animais de estimação requerem alguns cuidados. Acima de tudo devem ser tratados com respeito e amor e nunca serem alvo de maus tratos. Devem ser asseguradas algumas condições como de higiene, alimentação e de espaço. É importante mostrar à criança as responsabilidades e tarefas ligadas aos cuidados do animal de estimação.

É indispensável explicar à criança que o fiel amigo, muitas vezes, pode não entender ou perceber o que se quer, logo, deve-se ter paciência e compreensão quando não obedece. Os animais de estimação propiciam um bem-estar generalizado a todos os níveis diminuindo assim sentimentos negativos como a tristeza e o isolamento, quer se seja “miúdo ou graúdo”.

Deixa o teu comentário

Últimas Escreve quem sabe

13 Novembro 2018

À descoberta de Guadalupe

12 Novembro 2018

Marketing cara-a-cara

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.