Correio do Minho

Braga, sexta-feira

- +

As vantagens crónicas do treino desportivo e da competição

As vivências da emigração portuguesa nos palcos do teatro

As vantagens crónicas do treino desportivo e da competição

Ideias

2019-09-11 às 06h00

Filipe Clemente Filipe Clemente

O treino desportivo e a competição encontram-se umbilicalmente relacionados considerando que um não vive sem o outro. Na natureza da competição (seja ela interna – consigo próprio ou externa – concorrencial com os seus pares) sistematiza-se a construção de um conjunto de valores e atitudes que, se bem regrados e transmitidos, serão aquilo que de mais efetivo se vai manter nos praticantes. Adicionalmente, a competição conduz a uma necessidade clara de treinar e trabalhar sistematicamente para melhorar e superar as limitações e/ou barreiras do rendimento humano.
O treino desportivo tem inúmeras vantagens, desde a melhoria das competências motoras de base, aptidão física, saúde, estética e/ou fatores psicossociais. O desporto é, sem dúvida, um meio enriquecedor que deve fazer parte do percurso formativo de qualquer criança, jovem e/ou adulto. No entanto, a construção do carácter é, na verdade, aquele que sofre efeitos que, bem transmitidos, imperarão para a vida e, sobretudo, ser-nos-ão úteis em qualquer momento. Todos as restantes poderão se manter, mais ou menos, mas o carácter e os valores desportivos são a essência que deve fundamentar a inclusão do treino para a competição nas rotinas de crianças e jovens.

E porquê treinar e competir? A competição é um elemento saudável e que acrescenta um objetivo e finalidade bastante claro ao atleta: ser melhor para vencer! Naturalmente, que as vantagens da competição devem ser bem medidas e regradas, sobretudo, de forma a não desvirtuar os valores fundamentais associados. Enganar, derrubar, insultar ou desrespeitar, apesar de visíveis nas competições, não são os valores e/ou atitudes que se devem permitir no desporto. Pelo contrário, competir respeitando os adversários, entendendo que são eles que nos impelem a melhorar, que sem eles não seríamos tão bons é, pois, um dos elementos chave que devem ser transmitidos aos nossos atletas. Assim como na vida, o colega de trabalho que mostra resultados e competência deve ser encarado, não como uma ameaça, mas sim como um fator de motivação para reforçarmos as nossas competências e aprimorarmos o nosso trabalho.

O atleta que compete sabe, também, que o treino é necessário e que não é, apenas, sobre alegria ou divertimento. Treinar para vencer, será sobre sacrifício, dedicação, comprometimento e disciplina. Desde o acordar ao deitar, o treino e a disciplina caminham lado a lado com atleta, desde o comprometimento de uma alimentação regrada, ao descanso necessário, ao treinar mesmo que não se goste e ao tempo de sacrificar parte da vida em prol de um objetivo final. Tal como na vida, a disciplina, sacrifício e comprometimento vão tornar o trabalhador, se motivado, um elemento sistematizado, afincado e rigoroso na execução das suas tarefas laborais acrescentando valor à sua empresa/instituição e beneficiando a produtividade.

Aquele que treina para competir sabe, evidentemente, que não vai perder e/ou ganhar sempre. Ambos os resultados conviverão com ele ao longo do seu percurso desportivo e, certamente, sem a convivência com um dos dois resultados, não se tornaria tão bom. Sabe, no entanto, que se treinar bem, vencer tornar-se-á consequência e perder será um acaso; pelo contrário, se treinar mal, perder tornar-se-á consequência e vencer um acaso. Tal como na vida, sabemos que o sucesso revezar-se-á com o insucesso, mas, ao confiar no processo de trabalho e na persistência, encontrar-nos-emos sempre mais próximos de voltar a vencer e alcançar os objetivos a que nos propomos.
Treinar para competir é, também, sobre desafiar o nosso corpo e mente para alcançar patamares de rendimento superiores. O atleta que compete sabe que, para vencer, terá sempre de ultrapassar o confortável e manter-se no arriscado e doloroso. Terá de sofrer, não será lazer, nem recreação, mas no final superar-se-á! Tal como na vida, não é no conforto que encontraremos a base da melhoria.

Será no arriscar na mudança de trabalho, de casa ou de vida que se procurará o melhor. O conforto servirá, apenas, para celebrar as conquistas ou para chorar as derrotas.
Desta forma, treinar e competir servem propósitos mais elevados e, se bem apropriados, fundamentarão as bases de um cidadão e trabalhador melhor. Certamente mais disciplinado, comprometido e respeitador, bem como, capaz de fazer da derrota um elemento galvanizador para o sucesso sustentado no trabalho invisível de longas horas que ecoará no momento final: a competição!

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.