Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +

As prioridades políticas da nova Comissão Europeia

A Europa e o futuro

As prioridades políticas da nova Comissão Europeia

Ideias

2020-01-23 às 06h00

Alzira Costa Alzira Costa

No dia 1 de dezembro de 2019, Ursula von der Leyen, a nova presidente da Comissão Europeia decidiu apresentar ao mundo as orientações políticas do novo colégio de comissários para o próximo mandato. Estas orientações políticas foram compiladas num documento designado de “Uma União mais ambiciosa - O meu programa para a Europa”*.
Esta é considerada uma nova agenda política que apresenta objetivos bem definidos e alterações estruturais que prometem trazer um impacto positivo significativo no quotidiano dos cidadãos europeus. Uma agenda que tem em atenção os problemas do presente e os vários desafios da Europa para o futuro, através da apresentação de medidas a serem implementadas no curto-prazo, sem se imiscuir da responsabilidade de assegurar condições necessárias para uma Europa mais forte a longo-prazo.
“Um Pacto Ecológico Europeu”; “Uma economia ao serviço das pessoas”; “Uma Europa preparada para a era digital”; “Promover o modo de vida europeu”; “Uma Europa mais forte no mundo”; “Um novo impulso para a democracia europeia” são as designações das seis prioridades políticas desta Comissão Europeia (Comissão). Para cada uma das prioridades políticas são identificadas as grandes linhas de atuação, identificando os principais objetivos que a Comissão se compromete a prosseguir e implementar para os próximos cinco anos, sendo que algumas destas finalidades foram apresentadas no sentido de obter um efeito prático num prazo não superior a 100 dias após a tomada de posse da Comissão (relembramos que essa tomada de posse aconteceu no dia 1 de dezembro do ano passado).
O Pacto Ecológico Europeu, roteiro apresentado pela Comissão e apresentado no dia 11 de dezembro do ano passado, pretende ser o principal motor para a transformação da economia europeia. A Comissão pretende que o continente europeu seja o primeiro a atingir a neutralização carbónica até 2050. Para isso, e tendo em conta a situação complexa que o ambiente enfrenta nos dias de hoje, foi traçado um plano de investimentos para modernizar e adaptar a economia europeia a um estilo mais eco-friendly (principalmente as economias dos países do bloco de leste, que ainda detêm uma política energética suportada pelo carvão).
Apresentadas foram também as orientações para uma Europa Social forte. Inserida no âmbito da prioridade “uma economia ao serviço das pessoas”, a Comissão pretende garantir, entre várias medidas, que todos os países tenham um salário mínimo justo e adequado, assim como pretende debater as condições laborais de novas profissões que surjam através dos meios digitais. Meios digitais esses que representam outra prioridade e configuram uma clara aposta da Comissão, com o objetivo de equipar a Europa de meios adequados para recuperar o atraso tecnológico que existe face a outras potências mundiais como a China ou os Estados Unidos da América, sem colocar em causa os princípios e valores fundamentais consagrados na Carta dos Direitos Fundamentais da União Europeia.
A defesa dos valores fundamentais é o principal objetivo da prioridade que visa a promoção do modo de vida europeu. Em nenhum lugar no mundo se vive com tanta preocupação pelo zelo na correta aplicação da Carta Fundamental dos Direitos do Homem e pelo Estado de Direito como na União Europeia (UE). Uma Europa que pauta o exercício dos seus poderes através de princípios democráticos totalmente intrínsecos no seu sistema administrativo e político (que nenhuma outra organização ousou fazer até hoje), e que promete chegar cada vez mais perto dos cidadãos através de um novo impulso que a Comissão pretende promover na democracia. Por último, tudo isto para termos uma Europa mais forte quer a nível interno, quer a nível externo – uma Europa que seja capaz de se defender e que aplique uma agenda comercial forte, aberta e equitativa no plano mundial.
Através deste documento (“Uma União mais ambiciosa - O meu programa para a Europa”), verificamos que existe uma Comissão empenhada em fazer a diferença e em marcar o estilo de vida de várias gerações vindouras. Uma UE mais sustentável, globalizada e que sirva e proteja as pessoas, são as principais ideias a retirar de uma Europa que se prepara, de uma forma prudente e responsável, para as exigências de um futuro cada vez mais exigente.
Nos próximos “Artigos”, iremos abordar algumas destas prioridades políticas e, na nossa “Flash Informativa”, faremos o acompanhamento da execução destas prioridades, para que o leitor possa acompanhar o que a Europa realmente pretende (e tem feito ou faz) com consequências diretas no nosso futuro.
Não deixe de nos acompanhar nestas rúbricas informativas publicadas neste jornal!

* Poderá ler o documento original na íntegra através da seguinte ligação: http://bit.ly/prioridadesCE?

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.