Correio do Minho

Braga, segunda-feira

- +

As microlixeiras anunciadas

A Televisão Digital Terrestre (TDT) tem novas frequências

As microlixeiras anunciadas

Ideias

2019-11-13 às 06h00

Pedro Machado Pedro Machado

Ontem foi notícia num jornal nacional, a poluição pela existência de muito lixo nas serras do grande Porto. Dizia-se que: “Quem visita as serras, entre Valongo e Paredes, passando por Gondomar, encontra vários amontoados de lixo. Em caminhos secundários é frequente encontrar sofás velhos, eletrodomésticos, plásticos, restos de obras e outro entulho.”
Como perspetivei há anos atrás e como já referi em muitas outras crónicas, não se fecha uma escola pública quando abre uma escola privada, nem se fecha o hospital público quando abre uma clinica privada.
Ora, a privatização da receção de resíduos industriais não perigosos e não concessão de licença para este tipo de resíduos aos aterros municiapis, iria levar ao abandono da via pública ou em locais mais ermos, deste tipo de resíduos, formando microlixeiras um pouco por toda a parte, a nossa área geográfica também não escapa a esta situação lamentável, mas previsível.

Claro que estes comportamentos resultam da falta de civismo mas, por mais sensibilização que se faça, há que disponibilizar soluções de deposição legal acessíveis e dentro da área geográfica das empresas.
Não sou contra a existência de empresas privadas a operar neste setor, em livre concorrência, mas quando se obriga os produtores de resíduos a depositá-los nestes locais, na maior parte dos casos, tendo de percorrer longas distâncias e pagar tarifas mais elevadas, os nossos pequenos empresários, lamentavelmente, não aguentam as despesas e arranjam estas soluções “alternativas”.

Apesar de tudo, estas atitudes não têm desculpa, resultam de falta de civismo mas, por mais sensibilização que se faça, há que disponibilizar um local com custos de deposição acessíveis e dentro da sua área geográfica. Enquanto isso não acontece, resta-nos sensibilizar a população para que não pactue com estas situações, pois prejudicam o meio ambiente e, consequentemente, a todos nós.
Assim, como sempre, apelo à co-responsabilização dos cidadãos para que, sempre que tiverem conhecimento de que alguém abandonou resíduos junto aos ecopontos ou noutros locais, denunciem às autoridades competentes, nomeadamente o SEPNA da GNR, o município e a Braval, para que possamos, pelo menos, minimizar o problema.
Ajude-nos, ajudando-se!

Deixa o teu comentário

Últimas Ideias

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.