Correio do Minho

Braga, sábado

- +

As Bibliotecas e a evocação de autores

A bacia cor de laranja

As Bibliotecas e a evocação de autores

Voz às Bibliotecas

2021-06-25 às 06h00

Rui A. Faria Viana Rui A. Faria Viana

As Bibliotecas devem ter uma atenção especial relativamente aos autores que, por razões de naturalidade ou de outra afinidade local, estão intimamente ligados à comunidade e à memória colectiva, como é o caso do escritor vianense João da Rocha (1868-1921), que acrescenta o facto da sua biblioteca particular, de enorme valor patrimonial, integrar o fundo bibliográfico da Biblioteca Municipal de Viana do Castelo desde 1922.
Por estas razões, a autarquia através da sua biblioteca homenageou no passado dia 19 de Junho, o escritor vianense João da Rocha com a realização de um colóquio evocativo para assinalar o centenário do seu falecimento (1921-2021).

Mas quem foi João da Rocha? Conhecido como poeta, historiador, ensaísta e contista, João da Rocha, cognominado de Frei, iniciou os seus estudos, destinando-se à carreira das armas no Colégio Militar e assentou praça em infantaria, como voluntário, a 16 de Julho de 1886, tendo sido promovido a 1.º sargento aspirante nesse mês. João Loureiro da Rocha Páris Barbosa e Vasconcelos, nome completo deste ilustre vianense, fez, posteriormente, o curso matemático para as armas superiores, na Universidade de Coimbra, entrando para a Escola do Exército, onde, por não conseguir vencer a equitação, teve de abandonar a arma de artilharia, e passar para a de infantaria. João da Rocha foi promovido a alferes para o regimento de infantaria n.º 19, em 12 de Dezembro de 1896. Pouco tempo esteve ao serviço, passando à inactividade temporária, por licença ilimitada, de que se apresentou em 1 de Abril de 1916, passando à reserva em 21 de Outubro do mesmo ano. Apesar de ter sido chamado a prestar serviço activo, de 17 de Novembro de 1917 a 2 de Junho de 1918, em infantaria 2, e na Farmácia Central do Exército desde 3 de Junho de 1918, foi mandado apresentar-se na Presidência da República, em 4 de Outubro de 1919, onde ficou em serviço como secretário particular do então Presidente da República António José de Almeida.
Tendo em conta a rigidez de princípios e a acentuada bondade de sentimentos, acrescendo a aptidão natural de ser artista e erudito, João da Rocha nunca poderia ser um bom militar. O seu anseio era a soledade contemplativa, meditar, sonhar; o seu trabalho predilecto era o estudo e a investigação. A vida era-lhe agra- dável entre livros e documentos ou entre árvores e flores.

Para além de ter colaboração dispersa por várias publicações, João da Rocha fundou e dirigiu o jornal Fôlha de Viana e a revista Límia. Foi também professor do liceu e presidente do Instituto Histórico do Minho. Publicou diversos títulos entre os quais se destacam: Nossa Senhora do Lar (1900), livro de poesia, cuja receita foi aplicada a auxiliar o cofre da Real Associação Humanitária de Socorros Mútuos Barce- linense (Barcelinhos); Memórias de um Médium (1900); Angustias (1901); A Guerra Peninsular (1908); Homens e Árvores (1908); Portugal e as Invasões Francesas (1909); A Lenda de Sagres – Observações a um opúsculo do mesmo título, de J. Tomé da Silva (1915), com o pseudónimo de “João Ninguém”; A Lenda Infantista – Observações a um estudo do Sr. Dr. Teófilo Braga (1915); 1416-1916 – Celebração do Quinto Centenário da Abertura do Caminho marítimo da Europa à Índia (1916).

Nesta homenagem agora promovida, através da realização de um colóquio científico sob o lema “Literatura, História e Intervenção Cívica”, participaram os seguintes palestrantes: Dr. Álvaro Rocha Vasconcelos (representante da família); Prof. Dr. João Paulo Oliveira e Costa (FCSH da Universidade Nova de Lisboa); Dr. António José Barroso (AEA de Viana do Castelo); Prof. Dr. Artur Anselmo (FCSH da Universidade Nova de Lisboa e Presidente da Academia de Ciências de Lisboa); Dr. Porfírio Pereira da Silva (Biblioteca Municipal de Viana do Castelo); Dra. Cláudia Costa (Doutoranda ILCH da Universidade do Minho); Prof. Dr. José Carlos Seabra Pereira (Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra), Prof. Dr. Manuel Curado (ILCH da Universidade do Minho) e Dr. Joaquim Domingues (AE Sá de Miranda, Braga).
Nesta jornada cultural, que contou com a presença do Presidente da Câmara, Eng. José Maria Costa, foi ainda apresentado o livro “A Sabedoria da Paciência: antologia do centenário de João da Rocha (1868-1921)”, da autoria do Prof. Dr. Manuel Curado, numa edição da autarquia vianense que, deste modo, quis lembrar o ilustre escritor vianense que foi João da Rocha.

Deixa o teu comentário

Últimas Voz às Bibliotecas

17 Junho 2021

Voz aos Arquivos!

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho