Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +

Ano Internacional do Enfermeiro: Reconhecer, Antever e Investir

Frei Tomás dos tempos modernos

Ano Internacional do Enfermeiro: Reconhecer, Antever e Investir

Escreve quem sabe

2020-02-12 às 06h00

Analisa Candeias Analisa Candeias

O ano de 2020 está a entrar em grande. Já tinha mencionado neste espaço, a propósito do movimento #NursingNow, que este será o Ano do Enfermeiro (e da Parteira) a nível internacional, assinalado pela Organização Mundial de Saúde, bem-recebido pelo Conselho Internacional de Enfermeiros e, por cá, bem-acolhido pela nossa Ordem dos Enfermeiros. Talvez não seja à toa que tenha sido escolhido o período de 2020, dado que este ano também se comemoram os duzentos anos do nascimento de Florence Nightingale, aquela que é habitualmente chamada de mãe da Enfermagem.

Florence, embora de nacionalidade inglesa, nasceu a 12 de maio de 1820 nos arredores da cidade de Florença, em Itália (daí o seu nome), e é-lhe devido, entre outras coisas de importância, a criação de uma escola de Enfermagem na cidade de Londres em 1860, que visava formar enfermeiros a nível profissional. Possivelmente Florence não pensava que, no século XXI, os cuidados de saúde ainda fossem bastante ritmados pelo círculo hospitalar, em especial porque deu bastante importância ao efeito que a comunidade apresentava na condição de saúde das pessoas. Ainda assim, passados mais de cento e cinquenta anos da criação dessa escola, é altura de assinalarmos a importância dos enfermeiros e das parteiras, dando atenção ao diretor-geral da Organização Mundial de Saúde, o médico Tedros Adhanom Ghebreyesus, que refere que «os enfermeiros são a espinha dorsal de todo o sistema de saúde: em 2020 convidamos todos os países a investirem em enfermeiros e parteiras como parte do seu compromisso com a saúde para todos» (1).

De acordo com a Ordem dos Enfermeiros (1), a Organização Mundial de Saúde consigna quatro mensagens chave para o Ano Internacional do Enfermeiro:
i) enfermeiros e parteiras desempenham um papel vital na disponibilização de cuidados de saúde;
ii) deve-se fortalecer a Enfermagem para alcançar saúde para todos;
iii) é necessário aumentar a liderança e a influência da Enfermagem para melhorar os serviços de saúde;
iv) é urgente comprometer a vontade política e o financiamento para melhorar a Enfermagem. Estas são mensagens que devem prevalecer a nível internacional, porém, a nível nacional, também não devem ser esquecidas – em especial pelos decisores políticos e pelos decisores governativos das organizações de saúde, tanto a nível público como a nível privado.

O Conselho Internacional de Enfermeiros (2) também realça o facto de que o grupo dos enfermeiros é o maior grupo profissional que exerce funções ao nível dos cuidados de saúde, e que deve ser realizado um investimento no mesmo, de modo a que a qualidade desses cuidados seja melhorada e que o trabalho multidisciplinar que é realizado nesse âmbito seja otimizado. A verdade é que os enfermeiros se encontram numa primeira linha de ação no que diz respeito ao contacto com aqueles que necessitam de cuidados de saúde, sendo as suas competências (e.g. técnicas, científicas, relacionais, …) o instrumento principal no desenrolar deste contacto. Para isso, é igualmente necessário que os utentes se encontrem despertos para pedir o investimento nestes profissionais e o bom desenvolvimento das suas competências, pois são eles que irão usufruir daquilo que os enfermeiros têm para oferecer.

Com a comemoração deste ano especial, a Organização Mundial de Saúde, o Conselho Internacional de Enfermeiros e a nossa Ordem pedem que se dê uma maior voz aos possíveis líderes do futuro, e que estes sejam valorizados por aquilo que representam na assistência em saúde dos dias hodiernos. Clubismos à parte, visto que também sou enfermeira, reconheço a importância que este movimento traz, e a responsabilidade pedida de uma maior intervenção naquilo que são os caminhos da saúde para o futuro. Se são necessários, até 2030, mais nove milhões de enfermeiros a nível internacional, é agora o momento de colocarmos mãos à obra e trabalharmos para aquilo que queremos ver efetivado como uma melhoria dos cuidados.

(1) Veja-se em https://www.ordemenfermeiros.pt/noticias/conteudos/2020-o-ano-da-enfermagem/
(2) Atente-se em https://www.2020yearofthenurse.org/

Deixa o teu comentário

Últimas Escreve quem sabe

28 Junho 2020

Verbos traiçoeiros

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho