Correio do Minho

Braga, sábado

- +

Algumas tradições de Natal

Como vai ser a proteção do consumidor europeu nos próximos anos

Ideias

2013-12-23 às 06h00

Joaquim da Silva Gomes Joaquim da Silva Gomes

A quadra natalícia que vivemos acarreta várias tradições, cujas diferenças variam de país para país e até de região para região. Desta forma, recordam-se aqui algumas tradições de Natal que existem, ou existiram, em alguns países:
Uma das mais curiosas tradições de Natal ocorre na Grécia. Sendo este um país de marinheiros, efectua-se, na manhã de Natal, em algumas aldeias deste país, uma bênção dos barcos. Assim, nenhum marinheiro grego irá para o mar se, nessa manhã de Natal, o seu barco não tiver sido benzido.

Este cerimonial é iniciado pelo sacerdote da paróquia que, na manhã de Natal, se desloca até à praia, ou ao porto mais próximo, levando consigo uma cruz de madeira. De seguida, ata a cruz a uma pedra e lança-a ao mar, começando, de seguida, os rapazes e os homens ali presentes, a mergulharem para ver qual deles a encontra primeiro. Enquanto o pároco benze os barcos e esta agitada e corajosa gente procura no mar a cruz, em terra as pessoas vão passando, de mão em mão, um chapéu, onde são colocadas moedas para entregar ao primeiro que, no mar, consiga encontrar a cruz e a traga até terra. Aquele que conseguir chegar a terra com a cruz, obtém o reconhecimento público desse seu acto e, habitualmente, entrega o chapéu, com o dinheiro, ao sacerdote da localidade.

Em Itália, existe outra tradição curiosa, que decorre principalmente na igreja de Santa Maria Ara Coeli, em Roma. Nessa igreja, no dia de Natal, tanto a música dos órgãos, como a própria voz do pároco, são abafadas pelo som vindo dos “Pifferari”, uns assobios que provocam um som ensurdecedor. Estes “Pifferari”, oriundos das montanhas da Itália, costumam deslocar-se, no dia de Natal, pelo sul do país, tocando estas flautas, de forma alegre e ruidosa, anunciando o nascimento de Jesus Cristo.

No sul de França existe outro costume natalício que importa também destacar: quando o Menino Jesus nasceu, tocou numa flor, a “madressilva”, ganhando imediatamente esta uma cor alegre e viva. Por isso, esta flor “reconheceu”, de imediato, o Menino Jesus como Criador do Mundo. Assim, no dia de Natal, os franceses do sul do país procuram incessantemente esta flor, para que esta lhes traga um bom futuro, recheado em felicidade e abundância.

Ainda na França existe, em algumas regiões, a tradição das pessoas visitarem a casa de um inimigo para que se possam reconciliar. Esse momento é, normalmente, celebrado com vinho.
Mas não é só nos países do sul da Europa que as tradições de Natal são mais acentuadas, também na Inglaterra existe um curioso costume: à meia-noite, os ingleses acordam as abelhas, para que estas esvoacem e atraiam as pessoas, com o seu som alegre, que é entendido como sendo em honra do Menino Jesus, que acaba de nascer!

Na Escócia e na Irlanda, na noite de Natal, as ruas ficam cheias de gente, com candeias, para que possam ajudar o Menino Jesus a encontrar o seu caminho.
Na Suécia, é costume a filha mais velha da família vestir-se de branco, servir café com bolinhos a todas as pessoas de sua família, transportando na cabeça uma grinalda de folhas verdes com sete velas acesas.

Na Holanda verifica-se um curioso costume: os rapazes da mesma localidade juntam-se e transportam, de casa em casa, uma grande estrela iluminada, idêntica àquela que orientou os Reis Magos até ao local onde Jesus nasceu. Por norma, os habitantes das casas entregam-lhes donativos (em géneros ou dinheiro), que depois são entregues ao responsável máximo da autarquia, que tem a incumbência de as distribuir pelas pessoas mais pobres da sua área administrativa.

Na Áustria, é costume os habitantes colocarem luzes nas suas janelas, para que o Menino Jesus, acabado de nascer, não se magoe quando seguir o seu caminho.
Ainda na Áustria, concretamente na região de Tirol, é habitual as pessoas deixarem um copo de leite fresco na mesa de jantar, com colheres a toda a volta, para que o Menino Jesus e a sua família possam alimentar-se e recuperarem as forças.

Na Europa Central ocorre outra tradição muito apreciada pelos seus habitantes. Assim, no norte da Alemanha, é costume os habitantes deixarem as suas mesas repletas de iguarias tradicionais desta época, bem como a sala iluminada a noite toda, para que a Virgem e o Menino Jesus, escoltados pelos anjos que os rodeiam, possam alimentar-se, no preciso momento em que as pessoas dormem.

Em Portugal, as tradições de Natal centram-se, quase todas, na montagem de um presépio, com musgo e figuras de barro. As casas costumam ser enfeitadas com azevinho, bolas coloridas, sinos e estrelas. Mas, oportunamente, recordaremos de forma mais aprofundada estas tradições portuguesas.
Aproveito para desejar a todos os leitores do Correio do Minho e seus familiares um Feliz Natal, marcado pela paz, pelo amor e pela saúde.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho