Correio do Minho

Braga, sexta-feira

- +

A Pandemia após a Pandemia

O Movimento Escutista Mundial (IV)

A Pandemia após a Pandemia

Ideias

2020-06-10 às 06h00

Pedro Machado Pedro Machado

Todos dizem que o mundo mudou e nunca mais será o mesmo. Será mesmo verdade? Será que aprendemos alguma coisa com algo nunca anteriormente vivido? Só o futuro o dirá. No entanto, as evidências destes primeiros dias de desconfinamento dizem que não. Na altura em que a maioria das pessoas estava em casa, o ambiente agradeceu e muito coisa melhorou. Desde as emissões de gases prejudiciais até à separação dos resíduos. Contudo, foi sol de pouca dura.

No passado dia 5 de junho festejou-se o Dia Mundial do Ambiente. Mas de festejos pouco ou nada teve. Acontece que, em poucos dias após o regresso à “normalidade”, registou-se um retrocesso no comportamento das pessoas. Durante o estado de emergência, e como já referi anteriormente, verificou-se uma alteração positiva nos hábitos de higiene ambiental da população. A separação do lixo ocorria de melhor forma, as pessoas estavam mais atentas e preocupadas com o que se passava à volta delas em termos ambientais. No entanto, parece que tudo foi por água abaixo.

Após o fim do estado de emergência, parece que tudo o que foi aprendido e/ou apreendido, foi rapidamente esquecido. Volta-se a ver lixo fora dos ecopontos, “monstros” espalhados por toda a cidade, máscaras e luvas em cada esquina, etc etc etc. Será a memória do ser humano assim tão curta?

A preservação do nosso planeta é, e terá sempre de ser, a maior preocupação de todas. Vivemos nele, sentimos nele e, acima de tudo, partilhamos este pedaço de terra com aqueles que mais gostamos.
Pergunto, em tom de desabafo, o porquê de tão maltratarmos o espaço que co-habitamos?
Tal como nesta pandemia, a responsabilidade social permanece em cada um de nós. Cada qual é responsável pelas suas ações, porém, as nossas ações afetam ativamente a vida dos outros e, neste caso falando em termos ambientais, afetarão as gerações vindouras.

Acredito que certos modelos comportamentais de algumas minorias – sim, a maioria das pessoas respeita – poderão ser mudados através da sensibilização. Estamos aqui para isso, para sensibilizar, educar ambientalmente e, acima de tudo, para pôr em prática tudo aquilo que consideramos benéfico para o ambiente. Temos que massificar a política de reciclagem. É importante separa as embalagens para o ecoponto! Podem contar connosco!
Ajude-nos, ajudando-se.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho