Correio do Minho

Braga, sábado

A ovelha negra

Calouste Gulbenkian

Escreve quem sabe

2017-12-17 às 06h00

Joana Silva

Na família existe quase sempre “um(a) ovelha negra”! Ninguém deseja estar neste papel, visto e tido como o membro rebelde.
O (A) rebelde é diferente dos restantes familiares. É aquele(a) que não segue as regras e não partilha das mesmas opiniões, aquele(a) que se destaca pela ousadia do “Não!” ou “Não concordo!” Na verdade o(a) ovelha negra tem um perfil muito próprio e facilmente identificável aos olhos e na perspectiva familiar: tem uma opinião discordante com algo que é praticado na família (Ex: Suponha que está inserido numa família que destrata e satiriza outras pessoas. Se houver algum dos membros que diga ou afirme que não acha engraçado ou bonito, será imediatamente mal visto nomeadamente se estas opiniões abarcarem outros contextos) ; tudo o que acontece de mal reporta-se a uma só pessoa e todas as conversas de família direcionam-se para o(a) “ovelha negra” (ex: Eu não o(a) posso aturar!; É sempre o(a) mesma a estragar tudo); são ocultadas informações familiares, ou seja, é sempre o último a saber e tem conhecimento das informações ao acaso; é visto como “louco(a)” ou portador (a) de um distúrbio psicológico só porque diz verdades mesmo que de forma assertiva. Mas será o(a) ovelha negra da família assim “um monstro”? Alguém com tão mau caracter ou má pessoa? Não! Na verdade, são pessoas mais conscienciosas, sensíveis e até com mais empatia. Mas são o “alvo a abater” dentro da família. Sim! Porque não está a corresponder aos padrões familiares, ou seja, não segue as regras (na sua maioria erradas e nocivas) e não se comporta e não age como os restantes membros.
Frequentemente o(a) “ovelha negra” é o alvo predilecto da fúria, da desesperança e até da raiva dos restantes elementos. E dá azo a uma violência emocional intensa, pois todos os elementos projetam as suas frustrações dia a pós dia no(a) ovelha negra desde porque correu mal o dia porque se zangou com o chefe, ou porque outro membro familiar aborreceu-se com os amigos de longa data, ou porque um desses membros está insatisfeito porque não conseguiu determinada situação. É como se jogassem ao 'tiro ao alvo' à o (a) ovelha negra e mesmo que esta última tenha todas as razões, os seus argumentos e a sua dor emocional de nada valem porque até mesmo assim se 'aliam' para o(a)desfavorecer e repreender. É comum ouvir-se a expressão popular “Não sou de ferro” atribuída aos vários contextos sociais. Assim sendo, o(a) ovelha negra também é frágil.
Dentro da família é frequentemente mal interpretado como sendo mal-educado(a), impulsivo e tempestivo. Tal como uma parede de uma casa esconde mil e uma situações, assim como “quem vê caras não se vê corações”, nem tudo o que parece é. Os comportamentos da 'ovelha negra' baseiam se em ações e emoções dolorosas .Se dentro de casa São os 'maus da fita' socialmente são tidos como excelentes pessoas com muita empatia (sendo que o sorriso esconde muitos segredos sombrios e dramáticos) aos que os membros familiares rotulam de muitas vezes de hipocrisia.
Infelizmente o(a) 'ovelha negra' não tem 'advogado(a)' de defesa. Na verdade, o hipócrita é aquele que simula valores de família que não os pratica em atitudes que se revelam em valores anti família. Todo estes acontecimentos tornam se desgastantes e causam mal estar. Talvez por essa razão se tornem pessoas mais ansiosas ( expressão popular - nervosas).
A família não se escolhe infelizmente mas pode fazer-se com que cause ou não faça tanto mal. Como? Passar o menos tempo em casa e longe dos respectivos familiares e rodear se de pessoas que acarinham. Nunca deixe de ser o que é só porque os outros o dizem. Se e 'ovelha negra', mantenha-se fiel a si próprio e às sua convicções pois na verdade os outros é que estão doentes. Filtre opiniões de factos. Uma opinião é meramente uma opinião . Lute sempre pelos seus ideais e convicções em prol do bem.

Deixa o teu comentário

Últimas Escreve quem sabe

29 Junho 2018

Gente sem pó

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.