Correio do Minho

Braga, segunda-feira

A Luz da Paz de Belém

Uma ideia de humano sem história e sem pensamento?

Escreve quem sabe

2016-12-23 às 06h00

Carlos Alberto Pereira

O projeto intitulado “a Luz da Paz de Belém”, progressivamente, foi assumindo um estatuto de atividade de referência que marca um percurso de preparação para o tempo de Natal. Não um Natal de excessos, das “ceias faustosas” e das “prendas incontáveis”, mas sim um Natal do serviço gratuito aos outros, da compreensão, da cooperação e da integração - só estes passos nos conduzem a um Natal de Paz, um Natal como o que nos apresenta Ary dos Santos:

Natal é em Dezembro
Mas em Maio pode ser
Natal é em Setembro
É quando um homem quiser

Este projeto “a Luz da Paz de Belém” foi lançado pela televisão pública austríaca, no âmbito de um programa social intitulado “Light in the Dark” (Luz no Escuro), dedicado a pessoas carentes, tanto na Áustria como nos países vizinhos.
Progressivamente os escuteiros austríacos fizeram sair da “caixa mágica” este projeto com algumas adaptações à vida escutista, mas mantendo sempre o espírito do serviço às crianças carenciadas.

Em 1990, a adesão, por todo o mundo, era tão grande que houve necessidade de assinar um acordo entre escuteiros e guias, de muitos países, para permitir que a luz, vinda de Belém para Viena, viajasse através da Europa e da América.
Assim, todos os anos, uma criança do norte de Áustria recolhe a luz na gruta onde Jesus nasceu e leva-a para a Europa, onde é distribuída, numa cerimónia ecuménica, em Viena, semanas antes do Natal. A Luz é entregue às delegações participantes para que a façam chegar aos seus respetivos países com uma mensagem de Paz, Amor e Esperança.

Depois, em cada país, as associações aderentes fazem, em cerimónia própria, a distribuição da Luz da Paz de Belém para que os seus escuteiros a possam redistribuir pelas igrejas, casas particulares, hospitais, lares de idosos, prisões, locais públicos de desenvolvimento social, cultural, político ou em qualquer lugar onde se aprecie o seu significado.
Em Portugal, na primeira década deste século, a Luz chegava pela mão do Movimento Scout Católico de Espanha e também pela mão de um Cônsul Honorário da Áustria, residente em Albufeira, e, neste caso, a partilha da Luz era feita na Igreja Matriz desta cidade em cerimónia ecuménica com copresidência do pároco e do presidente da Câmara.

Nos nossos dias, uma delegação de escuteiros portugueses desloca-se a Viena e transporta a Luz diretamente para Portugal onde, em cerimónia nacional onde é partilhada com os nossos escuteiros.
Este ano, esta cerimónia nacional realizou-se em Évora, no passado dia 11 de dezembro, sendo que a proposta nacional, desenvolvendo num projeto específico da associação que percorre os tempos litúrgicos do Advento, de Natal e da Epifania do Senhor, tem por base - Construir a Paz com Coragem e Criatividade - vivida em três fases:

“Inspira-te (advento)
Propostas de reflexões/dinâmicas que podem ser feitas em secção/agrupamento e que visam a preparação para a chegada da Luz, uma para cada domingo do advento, que se inicia a 27 de novembro e termina a 18 de dezembro.

Partilha-te (até ao dia de Natal)
Partilhada a Luz com todos os escuteiros do CNE, esta é a altura em que procuramos formas criativas de fazer chegar esta mensagem de Paz às nossas comunidades locais. Nesta fase damos-te alguns exemplos de como o podes fazer.

Transforma-te (até ao Batismo do Senhor)
Em secção e/ou agrupamento desenvolve um projeto que procure partilhar a mensagem da Luz da Paz de Belém. Nesta fase a Secretaria Internacional dá-te 3 áreas - diretamente relacionadas com a temática da Paz - e algumas pistas de como desenvolver um projeto.” As crianças e jovens que viverem este projeto podem, no final do mesmo, candidatar-se à insígnia da Luz da Paz, tornando-se assim “Construtores de Paz”.

P.S.:
A todos os leitores do Correio do Minho e a todos os seus colaboradores, votos de Santo Natal e de um Ano Novo de Paz.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.