Correio do Minho

Braga, quarta-feira

A “Escola Industrial” Carlos Amarante

Parabéns ao IPCA

Voz às Escolas

2014-10-27 às 06h00

Hortense Lopes dos Santos

Este ano lectivo, a Escola Secundária Carlos Amarante (desde 2013 escola sede do Agrupamento de Escolas Carlos Amarante) comemora 130 anos como escola criada para o ensino industrial.
A este propósito, permitam-me transcrever o texto registado no nosso boletim publicado em março de 1985, dedicado às comemorações do 1.º Centenário da Escola Industrial Carlos Amarante:

“A Escola Secundária de Carlos Amarante é uma das doze Escolas Industriais criadas em 1884 e que em 1984/85 celebram o 1º centenário da sua inauguração e entrada em funcionamento. (…)
Faz pois cem anos a nossa escola! E há vários indícios de que não quer apenas fazê-los, mas que sobretudo celebrá-los. Fazer anos é uma fatalidade, celebrá-los é um sinal de vitalidade.(…)”

Celebra-se o 1.º centenário das Escolas Industriais num momento de relançamento do ensino técnico-profissional. Este relançamento, não é obviamente, gratuito. Tem certamente a ver com a explosão das novas tecnologias, com o que se vai chamando a terceira revolução industrial, mas também com a necessidade de modernização da nossa economia, que passa pela qualificação técnico-profissional dos seus agentes. A essas duas razões acrescentaríamos a necessidade de reformular o sistema de ensino, verificando as consequências negativas da sua unificação em termos de realização pessoal do aluno e de aptidão profissional.

É bem sinuosa a história do nosso ensino técnico, desde o seu longínquo começo, em 1759, com a criação da Aula do Comércio, no tempo do Marquês de Pombal, passando pelo Decreto de 30 de dezembro de 1852, de Fontes Pereira de Melo, que cria o ensino industrial, pelo Decreto de 3 de Janeiro de 1884, de António Augusto de Aguiar, que cria as primeiras Escolas Industriais, até ao relançamento do ensino técnico-profissional, em 1984, com o ministro José Augusto Seabra, cujo processo de implementação se pode contestar, mas cuja necessidade é indiscutível.

A efeméride que celebramos remonta, pois, ao Decreto de António Augusto de Aguiar, de 1884, que criou as primeiras escolas industriais. Foi com o título de ‘Escola de Desenho Industrial’ que a nossa Escola começou, tomando seguidamente o de ‘Escola Industrial e Comercial’ e, após o desdobramento, o de ‘Escola Industrial Carlos Amarante’, para, na sequência da Revolução de 25 de abril de 1974, tomar o nome de ‘Escola Secundária Carlos Amarante’.

O sentido e a eficácia da celebração deste centenário depende fundamentalmente de nós: alunos, professores, funcionários, encarregados de educação, antigos alunos. Ele será o que nós quisermos. Bom seria que puséssemos a nossa imaginação e a nossa vontade ao serviço de uma Escola melhor do que a que temos.”

Acrescentamos que a 22 de janeiro de 2015 se celebra o segundo centenário da morte de Carlos Amarante. Como todos sabem, o dia 22 de janeiro tem estado associado ao Dia da Escola, em que celebramos o patrono, homenageando a comunidade educativa.
O próximo dia 22 de janeiro terá comemorações alargadas, envolvendo outras entidades, designadamente a Câmara Municipal de Braga, a Santa Casa da Misericórdia e a Confraria do Bom Jesus.

Desde já, convidamos todos os que nos quiserem honrar com contributos e/ou uma visita, esperando, pela nossa parte, que essa celebração não desmereça a do centenário para, assim, continuarmos a fazer deste Agrupamento ainda “melhor do que o que temos”.

Deixa o teu comentário

Últimas Voz às Escolas

19 Dezembro 2018

O que nos distingue

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.