Correio do Minho

Braga, segunda-feira

A Educação Cívica e os Direitos Participativos da Criança

O mito do roubo de trabalho

Escreve quem sabe

2016-06-03 às 06h00

Carlos Alberto Pereira

Na passada quarta-feira, no primeiro dia do mês de junho, - talvez por isso, o mês dos santos populares, ou, ao contrário, por causa disso mesmo -, viveu-se o dia mundial da criança.
Que me perdoe “meio mundo e o outro meio também”, neste dia, que a humanidade dedica à criança e que os adultos procuram transformar numa espécie de conto de fadas onde a vontade dos adultos formata o dia, supostamente das crianças, mas a verdade é que não resisto a deixar para reflexão de cada leitor, e para estes um pedido de perdão muito mais profundo, uns versos do poema de Fernando Pessoa, escrito em 1934, intitulado: Liberdade
Grande é a poesia, a bondade e as danças...
Mas o melhor do mundo são as crianças,
Flores, música, o luar, e o sol, que peca
Só quando, em vez de criar, seca.
Pedia-vos, caros leitores, que lessem o poema ou se preferirem escutassem o saudoso João Villaret a dizê-lo
(https://www.youtube.com/ watch?v=kNSK1HHi7mA), tendo presente o pensamento dos autores da Escola Nova e, sobretudo, de António Sérgio, que defendiam a afirmação dos direitos participativos da criança, pela mobilização da participação quotidiana, para que façam parte da “Cidade”.
Porque «o melhor do mundo são as crianças», esta mesma reflexão não pode deixar de ser um elemento constante na I Secção do Escutismo Católico Português, a Alcateia - a Unidade onde se reúnem as crianças com 6 a 10 anos, designadas “Lobitos”.
Baden-Powell, contemporâneo dos pedagogos da Escola Nova, com a qual o Escutismo tem uma relação identitária, escreveu, em 1916, o livro Manual do Lobito, inspirado no Livro da Selva de Rudyard Kipling, marcando, formalmente, a criação da Alcateia, que, este ano, celebra o seu centenário. Neste empreendimento, o fundador terá tido a preciosa ajuda de sua irmã, Agnes e, sobretudo, de Vera Barclay, esta última considerada a primeira Akelá, isto é, a primeira chefe de Alcateia,
A Secção dos Lobitos fora anunciada para o ano de 1916, pelo próprio Baden-Powell, na revista da Associação Escutista Inglesa destinada aos adultos, Headquaters Gazett, em 1914, sob a designação de “uma secção júnior para o Escutismo”.
Em 1914 há notícias que esta “secção júnior” já tinha adeptos. A própria Vera Barclay aparece como chefe de uma delas, nesse ano e, em 1915, fundara uma Alcateia em Hertford Heath, no nordeste de Londres, mas, na verdade, muitas destas experiências não tiveram muito êxito, por não haver um método e um programa adequados às crianças, de tal forma que, no dia 16 de junho de 1916, numa conferência em Londres, os chefes dos Lobitos reuniram-se para reivindicar o esperado manual para os lobitos.
Ainda nesse ano, Vera Barclay passou a integrar a equipa liderada pelo fundador, sendo a responsável pela Secção dos Lobitos, posto que manteve até 1927, e trabalhou, intensamente, na reformulação do Manual do Lobito. Este livro está cheio das suas influências, feitas com entusiasmo e imaginação e, principalmente, de um grande conhecimento da natureza da criança. Ela via, claramente, a necessidade de conservar a essência do método escutista, mas promover a sua aplicação, tão distinta quanto possível, atendendo à natureza das crianças.
Desta forma, há cem anos, o Livro da Selva deu o enquadramento necessário ao espaço de descoberta e aventura das aprendizagens, mantendo o jogo, a ação (planeamento, execução e avaliação) e a participação (individual e em grupo - no Bando e na Alcateia), próprios da educação escutista, permitindo manter o princípio de que a criança é a protagonista da sua própria educação, sendo que a Alcateia era um espaço que promovia (e promove) o desenvolvimento da iniciativa, da vontade criadora, da responsabilidade, do autodomínio, numa palavra do self-government, tão caro a António Sérgio.

Deixa o teu comentário

Últimas Escreve quem sabe

16 Dezembro 2018

Sinais de pontuação

16 Dezembro 2018

Amigos não são amiguinhos

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.