Correio do Minho

Braga, sábado

- +

2020: O ano para começar a poupar

Os direitos dos utentes do serviço de transporte de passageiros

2020: O ano para começar a poupar

Escreve quem sabe

2020-01-26 às 06h00

Carina Meireles Carina Meireles

ALiteracia financeira é um tema cada vez mais na moda, mas que não pelas melhores razões porque estamos com níveis muito baixos quando falamos em poupança, ou seja, os portugueses não poupam. Será porque não sobra? Será uma questão de gestão financeira? Cada vez mais importante é sabermos o que é o dinheiro, qual o seu valor e qual a sua importância e como podemos usá-lo da melhor forma. Quanto mais instruidos estivermos em relação à gestão financeira do nosso dia-a-dia, mais rapidamente nos tornamos independentes, financeiramente.

É importante trabalhar conceitos de poupança desde já, e porque não ao iniciar este ano de 2020, de forma a podermos ter a nossa vida financeira equilibrada e orientada, para que não estarmos a gastar mais do que devemos. Para começar o Ano Novo e porque ano novo, vida nova, é fundamental começar desde já criar objetivos bem definidos: Conseguimos poupar algum valor por mês? Se não, porquê? Estamos a ter despesas supérfluas? Para que vamos poupar? Como vamos poupar? Quanto vamos poupar? Devemos responder a estas questões e traçarmos o nosso rumo financeiro para 2020.

Para ajudar, deixo aqui 3 dicas que serão importantes para o decorrer deste ano, para que seja muito positivo e que nos faça potenciar o nosso crescimento financeiro e permita alcançar os nossos objetivos nos prazos definidos.

1 - Criar um Plano Financeiro
A melhor forma de começar um Plano Financeiro é organizar das nossas despesas e receitas, por exemplo através da consulta do nosso extrato de conta mensal e analisar para onde vai o dinheiro. Este Plano deve estar a ser atualizado pelo menos uma vez por semana e controlado ao cêntimo, de forma a evitar gastos supérfluos e desvios os objetivos traçados.
O Plano Financeiro, permite organizar e gerir melhor o dinheiro, de forma a garantir uma maior estabilidade económica.

2 – Eliminar despesas desnecessárias
As despesas desnecessárias passam por valores que identificamos como supérfluos, ou seja, por exemplo, quando estamos a pagar uma anuidade de um ginásio, porque fica mais barato, mas vamos lá uma vez por mês. Estamos a gastar dinheiro que poderíamos canalizar por exemplo para uma poupança mensal e começar desde já a poupar algum por mês.

3 – Estruturar um orçamento
Para criar um orçamento, tenho que saber quanto gasto e quanto consigo e posso poupar por mês, ou seja, devo definir logo à partida quanto eu pago de renda de casa ou prestação de crédito habitação, luz, água, alimentação, entre outras despesas para poder saber gerir da melhor forma o meu orçamento.

Terminamos o ano com níveis históricos de gastos, logo estamos a gastar muito e se calhar mais do que devemos, o que torna de certa forma a capacidade de poupar mais difícil. Será que se estamos a gastar muito, não poderemos colocar algum valor de lado? O consumo é necessário, mas também é importante começarmos a pensar em elevar os níveis de poupança em Portugal e não só o consumo, porque através da poupança o País cresce no desenvolvimento económico e potencia a diminuição do potencial risco futuro de endividamento. É muito importante começar desde já a pensar em criar um Fundo de Emergência, de forma a podermos estar preparados para imprevistos presentes e futuros.
Vamos trabalhar desde já na Literacia Financeira, para começar o ano de 2020 com muitos sucessos financeiros!

Deixa o teu comentário

Últimas Escreve quem sabe

28 Fevereiro 2020

A censura do silêncio

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.