Correio do Minho

Braga, sábado

- +
Vilaça: linha impede entrada em casa
Bracarense José Lopes bate recorde nacional dos 1500 livres

Vilaça: linha impede entrada em casa

Executivo reuniu com Presidentes de Junta

Vilaça: linha impede entrada em casa

Casos do Dia

2010-03-19 às 06h00

Miguel Machado Miguel Machado

Moradores têm de fazer cerca de 700 metros para cada lado para poderem entrar e saír com as viaturas. Numa das moradias, o proprietário sente-se obrigado a pisar o risco. O presidente da Junta de Freguesia diz está disposto a dialogar com a empresa Estradas de Portugal.

A pintura do piso com traços contínuos brancos, na freguesia de Vilaça, junto à ponte sobre a auto-estrada, está a deixar os moradores à beira de um ataque de nervos.
Em causa está o acesso automóvel às habitações.
“Para entrar com a minha carrinha na minha casa, só tenho duas hipóteses: ou cruzo as linhas contínuas, ou então só consigo entrar de marcha-atrás” , revelou José Carlos Carvalho, um dos moradores prejudicados.

O munícipe lembrou que tem mais alguns vizinhos em situação idêntica.
“O meu vizinho do lado não pode virar para o lado de Ruílhe e o da frente não pode virar para Braga. Ambos têm de percorrer cerca de 400 metros para cada lado, para fazerem a inversão de marcha.”

O caso já foi entregue a um advogado, mas ainda não teve qualquer resposta.
José Carlos Carvalho acrescentou que “só por sorte é que ainda não houve aqui um acidente grave,ainda não calhou”. É que o separador central está mesmo à saída de uma curva, junto à ponte sobre a auto-estrada.

Além dos traços contínuos, José Carlos Carvalho depara-se com outro problema à porta de casa.
Um desnível no alcatrão, com mais de 20 centímetros, já implicou que ficasse com uma jante da viatura partida, “Quando alcatroaram a estrada, pedi para que “escondessem” o degrau ou alcatroassem até ao muro. Disseram-me que não podiam fazer isso, e que nem eu podia fazer por se tratar de uma estrada nacional. Disse que eu pagava o alcatrão para a berma, mas nem assim fizeram alguma coisa”.

O CM tentou obter esclarecimentos junto da delegação de Braga da Estradas de Portugal, mas não obteve resposta.


Estrada perigosa

Em declarações ao CM o presidente da Junta de Freguesia de Vilaça disse que está disponível para conversar com a empresa Estradas de Portugal.
“Já disse ao morador que a junta está disposta a enviar ofícios à Estradas de Portugal”, afirmou José Manuel Martins.

O autarca de Vilaça concorda que a situação tenha de ser alterada “porque o morador tem direito a entrar em casa.”
José Manuel Martins disse ainda que já avisou a Estradas de Portugal, porque “a estrada é perigosa. Os carros passam ali em grande velocidade, mas eles não querem saber. Podiam instalar ali umas lombas, mas nada.”

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.