Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +
‘Vamos Bailar à Senhora’: à fé também se exprime com folclore
CIM define estratégias de adaptação às alterações climáticas

‘Vamos Bailar à Senhora’: à fé também se exprime com folclore

Criação de cinema jovem impulsionado em Famalicão

‘Vamos Bailar à Senhora’: à fé também se exprime com folclore

2019-08-19 às 07h00

Marlene Cerqueira Marlene Cerqueira

Folclore foi rei e senhor na esplanada da basílica do Sameiro. A 11.ª edição de ‘Vamos Bailar à Senhora’ contou com dez grupos folclóricos que, transformados num só, cantaram e bailaram demonstrando a sua devoção à Senhora do Sameiro.

Elementos de dez grupos folclóricos participaram ontem à tarde na 11.ª edição de ‘Vamos Bailar à Senhora’, iniciativa que demonstra a fé que os grupos folclóricos da região devotam à Senhora do Sameiro.
Este ano participam nesta iniciativa dois grupos folclóricos dos diáspora: o Groupe Folklorique Tradição do Minho des Côtes D’armor e o Grupo Folclórico de Portugueses de Beausoleil, ambos de França.
A estes juntaram-se elementos de grupos de Braga e de Vila Verde, concretamente: o Rancho Folclórico de Santa Eulália de Cabanelas, de Vila Verde; o Grupo Folclórico de Macada Vimieiro, de Braga; o Rancho Folclórico da Associação Etno- gráfica e Cultural da Vila de Prado, Vila Verde; o Grupo Folclórico de S. Miguel de Cabreiros, Braga; a Associação Cultural e Festiva Os Sinos da Sé, Braga; o Grupo Folclórico e Etnográfico de Palmeira, Braga; o Grupo Folclórico de Marrancos, Vila Verde; e o Grupo Folclórico de Cervães, Vila Verde.
Elementos de todos estes grupos formaram um só rancho e interpretaram temas populares que testemunham a devoção a Nossa Senhora do Sameiro. A eles ter-se-ão ainda juntado outros ‘folcloristas’ que, tendo conhecimento do evento, decidiram também participar
José Machado, coordenador desta iniciativa, realça a participação voluntária e a título gratuito dos grupos nesta iniciativa, que acontece sempre na Peregrinação de Agosto ao Sameiro, um mês em que a grande maioria dos grupos folclóricos tem as agendas totalmente preenchidas. No entanto, há grupos que fazem questão de reservar o dia para este evento, assumindo cada participante as despesas inerentes à respectiva deslocação e participação.
A Confraria do Sameiro contribui com apoio logístico, oferecendo o almoço e o sistema de som para a realização da iniciativa que decorre na esplanada da basílica, juntando muitas dezenas de fiéis que aplaudem a actuação desde grande grupo.
Na assistência, muitos aproveitaram mesmo para se juntar à dança e cantar também os temas que fazem parte do repertório popular minhoto.
Para a edição deste ano realizaram-se três ensaios, no pavilhão da Escola Dr. Francisco Sanches, o suficiente para que tudo corresse da melhor forma.
O evento ‘Vamos Bailar à Senhora’ remonta a 2004, ano do Centenário da Coroação de Nossa Senhora do Sameiro e dos 150 anos da Proclamação do dogma da Imaculada Conceição. Apesar de não se ter realizado alguns anos, nos últimos tempos tem sido constante e tem vindo a conquistar cada vez mais grupos.
A iniciativa está aberta a todos os grupos folclóricos que queiram participar, realçou José Machado, revelando, a título de exemplo, que a participação do Groupe Folklorique Tradição do Minho des Côtes D’armor aconteceu depois de um dos seus elementos ter testemunhado o ‘Vamos Bailar à Senhora’. “A senhora gostou tanto do que viu e incentivou o grupo que, desde então, é presença assídua no evento.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.