Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +
V.Minho: família procurou-o durante dois dias
Portugal 2020 com 340 milhões para Famalicão

V.Minho: família procurou-o durante dois dias

Fama é a nova mascote do FC Famalicão

V.Minho: família procurou-o durante dois dias

Casos do Dia

2010-03-18 às 06h00

Miguel Viana Miguel Viana

Um homem residente em Anissó, Vieira do Minho, caiu na via pública e foi transportado pelo INEM para o Hospital de Braga. A família ficou sem notícias dele durante dois dias.

Um homem de 52 anos, residente no lugar da Povoínha, em Anissó, Vieira do Minho, sofreu uma queda na via pública na segunda-feira à noite. Devido aos ferimentos, foi transportado para o Hospital de Braga.
Como raramente sai da zona onde vive e é muito conhecido na freguesia, conforme o ‘Correio do Minho’ (CM) constatou na freguesia, Almeno Sousa Lopes raramente leva consigo a identificação pessoal.
Só que, como tem problemas psicológicos e com o álcool, “é frequente vê-lo aos tropeções”, disse ao CM um vizinho que solicitou o anonimato.
Terá sido numa dessas ocasiões que Almeno Lopes caiu e ficou ferido.
A entrada no hospital braca-rense, segundo diz a família, terá ocorrido por volta das 21 horas da passada segunda-feira.
“Desde essa altura que andamos à procura dele. Uma se-nhora do lar que ele frequenta telefonou para o hospital a perguntar por ele. Disseram que não sabiam dele. Estivemos quase dois dias à procura dele”, disse uma irmã de Almeno Lopes.
Na terça-feira à noite um dos irmãos deslocou-se à GNR de Rossas para dar conta do desaparecimento de Almeno. “Disseram que só podiam fazer alguma coisa depois de terem pas- sado 48 horas do desaparecimento, por ser tratar de um maior de idade”, disse o fami-liar.

Apareceu dois dias depois
A resposta surgiu no dia se-guinte (quarta-feira) de manhã.
“Ligaram para aqui a dizer que afinal ele nunca saiu do hospital. Pediram-nos desculpa, mas isto foi um sofoco”, contou a irmã de Almeno Lopes, que ontem mesmo regressou ao Centro Social e Paroquial de Nossa Senhora da Esperança, de Anissó.
O CM contactou a administração e o Gabinete de Relações Públicas do Hospital de Braga, mas não obteve qualquer esclarecimento em tempo útil. Entretanto, Almeno Sousa Lopes ficou ao cuidado do Centro Social de Anissó.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.