Correio do Minho

Braga, sábado

Universidade do Minho entre as favoritas para estudar
Associação comercial de Braga quer ocupar lugar da AIMinho

Universidade do Minho entre as favoritas para estudar

Presidente da Câmara inaugura recuperação e ampliação da Escola do Bárrio, em Roriz, e da EB1 de Gueral

Ensino

2018-09-09 às 06h00

Marta Amaral Caldeira

Sobraram, apenas, 105 vagas das 2869 vagas disponibilizadas pela Universidade do Minho para o ano lectivo 2018/19, registando o preenchimento da esmagadora maioria das vagas nos 59 cursos.

A Universidade do Minho (UMinho) volta a subir nas preferências dos candidatos ao Ensino Superior, registando-se o aumento de estudantes colocados na 1.ª fase do Concurso Nacional de Acesso (CNA) relativamente ao ano lectivo passado de 2017/18. A academia minhota tem as vagas totalmente preenchidas na maioria dos cursos e quase todas tendo sido a primeira opção dos candidatos.
Em relação ao ano lectivo passado, foram mais 59 os estudantes colocados na UMinho nesta 1.ª fase de acesso.
Às 2869 vagas disponibilizadas pela UMinho candidataram-se 3422 estudantes, tendo obtido colocação 2780. Ou seja, sobraram, apenas, 105 vagas na academia minhota para os candidatos ao Ensino Superior que apresentarem as suas candidaturas à 2.ª fase de acesso do concurso.

Em relação às notas, o curso de Medicina volta a liderar o ranking na UMinho com a nota mais alta, tendo o último aluno colocado a nota de 180,5 - num curso com todas as 120 vagas preenchidas nesta 1.ª fase.
Além de Medicina, destacam-se, ainda, pelas altas notas os últimos estudantes colocados nos cursos de Engenharia e Gestão Industrial (17,7), Engenharia Biomédica (17,2), Direito (16,7) e Gestão (16,5).
No que diz respeito às vagas ainda disponibilizadas pela Universidade do Minho para a 2.ª fase do CNA, no total 105, há vários cursos que podem ainda ser uma opção para os candidatos que se apresentarem nesta fase.
A licenciatura em Optometria e Ciências da Visão tem ainda 31 vagas disponíveis, a licenciatura em Estudos Portugueses e Lusófonos apresenta 11 vagas e o curso de Geologia tem 5 vagas.

Há ainda três vagas para a licenciatura em Engenharia Civil, oito vagas para o curso de Engenharia Têxtil, 24 vagas para o curso de Educação Básica e 23 para a nova licenciatura em Protecção Civil e Gestão do Território.
Recorde-se que para este novo ano lectivo 2018/19 a Universidade do Minho arrancou com dois novos cursos: Protecção Civil e Gestão do Território - que abriu com 30 vagas, mas que tem ainda 23 para preencher nesta 2.ª fase de acesso, e a licenciatura em Artes Visuais - que abriu com um total de 25 vagas, as quais foram completamente preenchidas pelos candidatos logo nesta 1.ª fase do CNA ao Ensino Superior.

Das 667 vagas disponibilizadas o IPCA preencheu quase tudo

As vagas que o Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA) apresentou foram também praticamente todas preenchidas e em primeira opção logo na 1.ª fase do Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior. O instituto regista também o aumento de estudantes colocados, em relação ao ano lectivo passado de 2017/18.
Um total de 633 candidatos foram colocados nesta 1.ª fase no IPCA nas suas 667 vagas que disponibilizou para este ano lectivo 2018/19. Refira-se que a maioria dos estudantes foi colocada no IPCA na sua primeira opção de escolha no que diz respeito aos estabelecimentos de ensino superior.
Os cursos que apresentaram as notas mais elevadas de entrada dentro do universo IPCA foram Gestão de Empresas (14,9 valores), Design Gráfico (14,6 valores), Gestão de Empresas em regimes pós-laboral (13,7), Contabilidade (13,6) e Gestão de Actividades Turísticas (13,5) - tendo todas as vagas disponibilizadas nestes cursos sido preenchidas nesta 1.ª fase de acesso, à semelhança de outros.
No que diz respeito às vagas sobrantes no IPCA para a 2.ª fase do CNA, refira-se que das 667 vagas disponibilizadas para este novo ano lectivo sobraram 43 para preencher na 2.ª fase de acesso ao Ensino Superior.
As vagas disponíveis registam-se nos cursos de Informática Médica (13 vagas), Engenharia Electrónica e de Computadores (12 vagas), Gestão Pública em regime de ensino à distância (11 vagas), Engenharia e Gestão Industrial (7 vagas).

IPVC tem 406 vagas para preencher na 2.ª fase

O Instituto Politécncio de Viana do Castelo (IPVC) colocou nesta 1.ª fase do Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior um total de 618 estudantes na sua academia nas 1022 vagas que disponibilizou aos candi- datos. Para a 2.ª fase de acesso, o IPVC disponibiliza, ainda, 406 vagas para os seus vários cursos.
Destaque-se o facto de a nota mais alta respectiva ao último aluno a ter sido colocado (13,9) do instituto politécnico se ter registado no curso de Gestão - precisamente um dos cursos que esgotou as vagas logo na 1.ª fase de acesso.
Das 406 vagas disponíveis para a 2.ª fase de acesso, o maior número existe nos cursos de Educação Básica, Engenharia de Sistemas de Energias Renováveis, Engenharia Civil e do Ambiente, Engenharia de Computação Gráfica e Multimédia e Engenharia Alimentar.
O IPVC regista uma ligeira descida do número de estudantes colocados na 1.ª fase do Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior, comparativamente ao passado ano lectivo.
Estima pelo menos a inscrição de pelo menos 181alunos, ao abrigo do Estatudo de Estudante Internacional, prevendo também o ingresso na sua academia de muitos estudantes via Cursos Técnicos Superiores Profissionais.
A estimativa aponta para a captação de 526 inscritos para estes cursos de curta duração.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.