Correio do Minho

Braga, quarta-feira

UMinho lança Acordo de Transparência sobre a Investigação Animal
Detenções por tráfico de estupefacientes e condução sob o efeito do álcool

UMinho lança Acordo de Transparência sobre a Investigação Animal

Miguel Matos volta a acelerar no Estoril

Ensino

2018-06-19 às 22h15

Redacção

Sessão conta com dirigentes da Associação Europeia de Investigação Animal, da Sociedade Portuguesa de Ciências em Animais de Laboratório e da Direção-Geral de Alimentação e Veterinária.

O Acordo de Transparência sobre a Investigação Animal em Portugal é lançado esta quinta-feira, dia 21, às 14h30, na Escola de Medicina da Universidade do Minho, em Braga.

Esta iniciativa é proposta pela Associação Europeia de Investigação Animal (EARA) e apoiada pela Sociedade Portuguesa de Ciências em Animais de Laboratório (SPCAL) nas instituições nacionais que utilizam animais em investigação fundamental e biomédica.??

O anúncio público conta com o diretor executivo da EARA, Kirk Leech, o presidente da SPCAL, Ricardo Afonso, e o presidente da Escola de Medicina da UMinho, Nuno Sousa. Segue-se uma mesa-redonda com a participação do coordenador da Direção-Geral de Alimentação e Veterinária, Fernando Bernardo, da presidente da Comissão Nacional para a Proteção dos Animais Utilizados para Fins Científicos, Yolanda Vaz, além de Laura Magalhães, deputada do Partido Social Democrata (PSD), Sara Carneiro Fernandes, do Conselho de Jurisdição Nacional do Partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN), e Mariana Silva, do Conselho Nacional do Partido Ecologista 'Os Verdes'.
 
Este acordo tem como objetivo melhorar a compreensão e a aceitação da investigação animal por parte da sociedade portuguesa, promovendo a abertura e transparência em relação à experimentação animal. O seu lançamento realiza-se no âmbito do IV Congresso da SPCAL, subordinado ao tema 'Qualidade e Transparência na Investigação com Animais de Laboratório', que decorre até sábado, 23 de Junho, nas instalações da Escola de Medicina da Minho.

Em Portugal, o acordo é assinado por 16 universidades e centros de investigação, incluindo o Instituto de Investigação em Ciências da Vida e Saúde da UMinho, a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, a Fundação Champalimaud, o Instituto Gulbenkian de Ciência, o Instituto de Investigação e Inovação em Saúde da Universidade do Porto, o Instituto de Medicina Molecular e as faculdades de Ciências, Farmácia e Medicina Veterinária da Universidade de Lisboa, a Faculdade de Ciências Médicas e o Instituto de Higiene e Medicina Tropical da Universidade Nova de Lisboa, a Faculdade de Farmácia, o Instituto de Investigação Clínica e Biomédica e o Instituto de Ciências Nucleares Aplicadas à Saúde, pertencentes à Universidade de Coimbra, bem como o Centro de Investigação em Biomedicina e o Centro de Ciências Marinhas, ambos da Universidade do Algarve.?

Os signatários comprometem-se, deste modo, a partilhar de forma consistente mais informações sobre a utilização de animais na investigação e as suas justificações científicas, éticas e morais. Esta abordagem baseou-se no Acordo de Transparência Espanhol, lançado em 2016, tendo a EARA cooperado com a Federação das Sociedades Científicas Espanholas e a Concordata sobre Transparência em Investigação Animal no Reino Unido.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.