Correio do Minho

Braga, quinta-feira

Theatro Circo traz mais razões para dançar na Noite Branca 2018
Leitores da Biblioteca Municipal de Esposende celebraram Natal em festa-convívio

Theatro Circo traz mais razões para dançar na Noite Branca 2018

Novos parcómetros contribuem para a melhoria da qualidade de vida

Braga

2018-08-28 às 08h09

Redacção

Palco exterior é a novidade no programa musical e será instalado na fachada lateral da sala de espectáculos. Exterior vai ouvir Sreya, Conan Osiris e DJ Marfox, e há teatro e dança dentro de portas.

O Theatro Circo já dá música à Noite Branca desde a sua primeira edição, mas, ao sétimo ano, a sala de espetáculos mais ilustre de Braga dá ainda mais cor à noite, com uma novidade: além de abrir as suas portas imponentes a quem quiser dançar na sala principal, a música, este ano, sai à rua - mais precisamente, à Rua Gonçalo Sampaio, entre o Theatro e o Liberty Fitness Center.
O novo ponto musical que se junta ao mapa de animação da Noite Branca 2018 nas duas primeiras noites é então o palco Theatro, com programação curada pelo Theatro Circo e que traz nomes sonantes da música portuguesa contemporânea como Sreya, Conan Osiris e DJ Marfox à calçada bracarense.

Sexta-feira, a primeira das noites brancas, traz a música portuguesa mais entusiasmante e, no mínimo, diferente dos últimos tempos a Braga: Sreya abre em cheio o palco Theatro pelas 22:30 horas e prepara-o para o amigo Conan Osiris, concerto que adivinha uma grande enchente pelas 23:30 horas, e DJ Marfox fecha o cartaz à 1 hora.
Os primeiros nomes são raros espécimes de um novo género musical: sons electrónicos de hoje com batidas que lembram o funk brasileiro, cantado em português do Portugal fadista de antigamente. As letras que chegam aos ouvidos pelo estilo musical que chama a um pé de dança são reflexões profundas mascaradas de confissões mundanas. ‘Adoro bolos’é um exemplo e o primeiro álbum de Conan Osiris, alter-ego de Tiago Miranda que se estreou nos palcos este ano e conquistou já uma base de fãs invejável - tanto por ele como pelo bailarino que o acompanha. O jovem músico dá cartas também na produção, com o álbum ‘Emocional’, lançado há um ano pela amiga Sreya, lisboeta que também visita Braga na primeira noite mais branca.

A fechar a noite no palco, mas a esperar que a dança se prolongue, há DJ Marfox no palco Theatro. O português já viajou pelo mundo com a sua música electrónica e o seu mais recente álbum, ‘Chapa Quente’, parece antever a temperatura do novo palco na próxima sexta-feira.
Mas nem só de música é feita a programação do Theatro Circo: no sábado, é a vez do teatro e da dança iluminarem a Noite Branca; desta vez, dentro de portas.

Em duas doses - uma às 1 e outra às 15 horas - o Salão Nobre do Theatro Circo recebe uma criação híbrida da holandesa Elisabeth Lambeck, bailarina e coreógrafa de dança contemporânea instalada em Gaia. ‘Distraído’ é interpretado a três e ilustrado musicalmente pelos israelitas Balkan Beat Box e o português Vítor Joaquim.
A partir das 16 horas de sábado, os mais curiosos podem ainda fazer uma visita gratuita à Sala Principal do Theatro Circo, a emblemática sala de espectáculos com mais de um século de existência.
O Theatro Circo reforça assim a noite em branco deste ano, garantindo que esta não se passe em branco.

Duas luas iluminam a Noite Branca

As noites mais brancas do ano visitam Braga há sete edições, mas, este ano, há mais uma justificação para o brilho nocturno no primeiro fim-de-semana de Setembro.
Na Rua do Castelo, vai ser instalada uma lua gigante - a ‘Moonlight Braga Parque’ - de cinco metros de diâmetro. A lua que vai observar a Noite Branca do alto do céu prevê-se quase cheia no próximo fim-de-semana, mas o novo astro estará muito mais próximo do público e imite luz própria.

A lua gigante foi realizada com o apoio do Braga Parque e faz parte de uma série de instalações permanentes espalhadas pela cidade, no próximo fim-de-semana, que vão trazer espectáculo interactivo e visual à Noite Branca.
Além da luz da lua, os claustros da Rua do Castelo vão receber a instalação sonora ‘Baloica’, uma série de baloiços que musicam os seus movimentos dos seus utilizadores.
A ‘Laser Street’ vai ocupar a Rua dos Capelistas com um percurso recheado de raios laser e muita ilusão de óptica, através de espelhos e cores.
O Largo do Paço vai ser ocupado pela ‘Control No Control’, uma escultura audiovisual interactiva constituída por luzes LED que convida o público a personalizar os padrões e sons que cria.
Pelas ruas de Braga viaja ainda o ‘Brarroco’, uma construção de garrafas transformadas em arte.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.