Correio do Minho

Braga, sábado

‘Sexta 13’ levou milhares a Montalegre
Turismo é o grande motor da reabilitação urbana

‘Sexta 13’ levou milhares a Montalegre

Comité Olímpico Português distingue Sameiro Araújo e Fernando Pimenta

Cávado

2018-07-17 às 10h21

Redacção

A‘Sexta 13’ é um dos maiores atractivos de Montalegre e sempre que acontece são milhares os que querem experienciar na primeira pessoa esta festa verdadeiramente peculiar pelo misticismo que envolve. Mais uma vez assim foi a última sexta 13.

Montalegre voltou a viver mais uma extasiante ‘Sexta 13’, com milhares de forasteiros a deslocar-se à vila para celebrar a data. Esta foi a última do ano e por isso todos quiseram aproveitar e divertir-se ao máximo, numa noite negra cheia de magia e misticismo.
A capital do Barroso voltou a vestir-se ‘de gala’ para receber pessoas sedentas de algo verdadeiramente único e peculiar, neste que é já um evento internacional e que, mais uma vez, voltou a surpreender os amantes do misticismo e do oculto.

Num ambiente místico e repleto de actividades de animação, em clima de grande festa, a música desta ‘Sexta-Feira 13’ esteve em destaque com o concerto musical protagonizado pela banda ‘Blind Zero’, de Miguel Guedes, que ficou ainda mais exuberante com a participação da artista vimaranense Sofia Escobar.
“O espectáculo não teve o colorido e o ritmo que outros já tiveram, mas primou por ser algo inédito. É sempre uma dificuldade encontrarmos um som em condições e desta vez esteve magnífico e sem distorções o que ajudou a dar solenidade a este grandioso espectáculo. Contou com momentos de muita valia técnica, com o brilhantismo que lhe aportou a Sofia Escobar. O final foi empolgante com uma estrondosa sessão de fogo-de-artifício”, sublinhou no fim da noite Orlando Alves, presidente da Câmara Municipal de Montalegre.

Para David Teixeira, vice-presidente da autarquia montalegrense, valeu a pena correr riscos. “Quando mudamos corre- mos sempre riscos e esta foi mais uma aposta ganha. Valeu, de facto, a pena voltar à raiz de 2008. O texto tinha tudo a ver com a nossa identidade e o cenário a valorizar o nosso padre Fontes. A moldura humana continua a responder ao apelo de Montalegre e queremos que assim continue. Quisemos transmitir uma magia sadia. É uma noite de realização de sonho, que correu muito bem”.

“A ‘Sexta 13’ continua a afirmar-se como o encontro da amizade e do convívio e a queimada é o cálice da alegria”, afirmou o responsável.
Paulo Cunha, presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, também marcou presença nesta ‘Sexta Feira 13’. “Já há algum tempo que fui desafiado pelo colega de Montalegre a conhecer esta realidade que tem uma dimensão cultural muito forte. Testemunhei e vivenciei esta manifestação cultural. É bom conhecermos boas experiências e Montalegre tem uma forma muito singular de assinalar esta data. É bom ver a comunidade envolvida nos projectos do território como acontece aqui”, referiu o edil famalicense.
Para a figura central da festa - padre Fontes - “Pareceu-me o melhor espectáculo de todos. A afluência foi muita e deixou-nos contentes”, confessou.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.