Correio do Minho

Braga, segunda-feira

- +
Semana da Floresta Autóctone envolve alunos de várias escolas de Vila Verde
Portugal 2020 com 340 milhões para Famalicão

Semana da Floresta Autóctone envolve alunos de várias escolas de Vila Verde

Mariana Machado de bronze nos Europeus

Semana da Floresta Autóctone envolve alunos de várias escolas de Vila Verde

Cávado

2019-11-20 às 11h36

Redacção Redacção

Em Vila Verde, a Semana da Floresta Autóctone arrancou com várias iniciativas envolvendo alunos de várias escolas concelhias.

A Semana da Floresta Autóctone arrancou com a inauguração da exposição ‘Florestas, um património a descobrir’. Um grupo de alunos da Escola Secundária de Vila Verde foi o primeiro a visitar a mostra que, sob o mote da protecção do ecossistema florestal, constitui-se por diversos painéis onde constam importantes informações sobre a floresta e a sua preservação.
Cedida pelo Centro de Monitorização e Interpretação Ambiental de Viana do Castelo, esta exposição estará patente até 29 de Novembro no átrio da câmara.

Já os alunos do Centro Escolar do Agrupamento de Escolas de Moure e Ribeira do Neiva assistiram a uma peça de teatro sobre alterações climáticas, interpretada por alunos da Escola Profissional Amar Terra Verde.
Durante a peça, os jovens “actores” ensinaram aos mais pequenos, de forma lúdica e cativante, algumas das medidas que devem ser tomadas pelo ser humano para proteger o ambiente. Entre músicas, danças e muita animação, andar de bicicleta e poupar os recursos da terra foram alguns dos conselhos dados aos pequenos participantes que fizeram parte da plateia.

Os alunos da Escola Básica de Vila Verde tiveram a oportunidade de ouvir Armando Carvalho, representante de um dos principais projectos de limpeza do Rio Cávado. Além de ter explicado o grave problema que os rios e oceanos enfrentam na actualidade, como a forte presença de plásticos e outro tipo de materiais não biodegradáveis, Armando indicou quais as plantas de espécies invasora que predominam no Rio Cávado e noutros rios, tal como o Jacinto de Água.
Os alunos rumaram depois junto à Zona de Lazer da Ponte Nova, na Loureira, para perceberem ‘in loco’ tudo aquilo que aprenderam anteriormente.

na sessão, a vereadora Júlia Fernandes elogiou a forma como se encontram, actualmente, os rios do concelho de Vila Verde, demonstrando, no entanto, a sua preocupação em relação à permanência de algumas espécies invasoras. “É fulcral que os alunos percebam, desde cedo, a importância da preservação das espécies autóctones. Esta educação ambiental é um dos nossos principais objectivos enquanto Município”, afirmou.
A vereadora referiu ainda que “as espécies que conservam a paisagem natural caracterizante do nosso concelho e preservam os nossos valores históricos e culturais, fortalecendo o turismo, daí que seja muito importante proteger e preservar o património natural do nosso concelho”.
Os alunos puderam, ainda, usufruir de uma aula prática, onde a Equipa Municipal de Intervenção Florestal demonstrou como “matar”as mimosas, espécie invasora abundante naquela zona.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.