Correio do Minho

Braga, segunda-feira

SC Braga desperdiça vantagem de três golos diante do Santa Clara
José Manuel Fernandes: “O líder do PSD não precisa de moções de confiança”

SC Braga desperdiça vantagem de três golos diante do Santa Clara

Convívio Amigos Teclenses homenageia filhos da terra e ex-combatentes já falecidos

Desporto

2018-08-20 às 06h00

Carlos Costinha Sousa

Sc Braga terminou a primeira parte frente ao Santa Clara a vencer por 3-0. No segundo tempo os Guerreiros do Minho deixaram de ‘existir’ e os açorianos anularam a vantagem conseguindo o empate.

Inacreditável! Uma vantagem de três golos ao intervalo não foi suficiente para o Sporting Clube de Braga conseguir garantir a vitória nos Açores. Depois de um primeiro tempo de grande qualidade e eficácia com três golos marcados, o segundo tempo foi surreal por parte dos bracarenses que sofreram o 3-1 logo a abrir a etapa complementar e mais dois até ao final do encontro.

Primeiros 45 minutos ‘sem espinhas’ por parte dos Guerreiros do Minho que começaram a construir a vitória, tendo chegado ao intervalo a vencer por 3-0.

Mas até foi o Santa Clara a mostrar-se mais afoito no ataque nos primeiros minutos, com duas aproximações e remates à baliza, que Matheus defendeu sem grandes dificuldades. Daqui para a frente só deu Braga.
Aos 24 minutos, Pablo inaugurou o marcador, ao aparecer muito bem na grande área dos açorianos, desmarcando do adversário que o marcava, para cabecear para o primeiro golo da partida. Um tento que teve o condão de tranquilizar os Guerreiros do Minho que, apenas cinco minutos depois, aumentavam para 2-0 por intermédio de Wilson Eduardo.

Desta vez, o criativo arsenalista aproveitou um desentendimento entre o guardião Marco e João Lucas, que deixaram a bola fugir e, quase sem ângulo, Wilson Eduardo só teve que rematar - ainda que fazendo um belo chapéu aos adversários - para o segundo golo bracarense.

Completamente tranquilos no jogo, os Guerreiros do Minho continuaram a dominar e a controlar o ritmo da partida, perante uma equipa do Santa Clara que não demonstrava argumentos para contrariar os arsenalistas.
E, a cinco minutos do fim do primeiro tempo, chegou mesmo o 3-0, por Dyego Sousa. O avançado brasileiro do SC Braga recebeu um passe no centro do terreno, descaiu para a esquerda e, já dentro da grande área, desferiu um potente remate cruzado que só terminou o seu trajecto no fundo das redes açorianas.

E o intervalo chegou pouco depois sem mais alterações no marcador, ao contrário do início da segunda parte que começou com novo golo, mas desta vez para o Santa Clara. Logo no primeiro minuto do segundo tempo, cruzamento de Patrick na direita e cabeceamento ao primei- ro poste, sozinho, de Thiago Santana para relançar o Santa Clara na partida.

E foi mesmo o que aconteceu, uma vez que pouco depois, aos 60 minutos, Zé Manuel voltou a demonstrar as fragilidades da defesa bracarense, ao apontar o segundo golo açoriano, e cinco minutos depois foi Fábio Cardoso, de cabeça, a marcar o terceiro e a empatar a partida.
Uma segunda parte inacreditável por parte do SC Braga que praticamente não ‘existiu’ em campo. A reacção do Santa Clara deixou os bracarenses completamente apáticos e não houve resposta para conseguir segurar a vantagem e, depois do empate, voltar a procurar o golo e a vitória. Nos Açores festejou-se, mas apenas pela reacção e a conquista de um ponto pelo Santa Clara.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.