Correio do Minho

Braga, terça-feira

Reitor da UMinho garante criação de Centro Multimédia ambicionado pelo ICS
Fábrica de Chocolate semeia valor da família e da amizade

Reitor da UMinho garante criação de Centro Multimédia ambicionado pelo ICS

Lamas quer melhorar acessos à Mamoa

Ensino

2018-11-09 às 06h00

Isabel Vilhena

O Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho celebrou ontem 42 anos. Na sessão solene, o reitor deixou a garantia de avançar com o tão desejado Centro Multimédia.

A criação de um Centro Multimédia é um dos projectos ambicionados pelo Instituto de Ciências Sociais (ICS) da Universidade do Minho e que tem vindo ser adiado por sucessivos reitores.
Em dia de aniversário do ICS que assinalou ontem 42 anos, o reitor da UMinho, Rui Vieira de Castro, afirmou “o compromisso de criar as condições para que, definitivamente, o laboratório multimédia possa avançar”, garantindo que o “orçamento para o próximo ano vai prever uma verba que nos permita arrancar com uma obra que é importante para o ICS e também para toda a universidade”.

Helena Sousa, presidente do ICS, lembrou que este “é um projecto que tem 20 anos e que, sistematicamente, tem sido adiado. Todos os anos no dia do ICS, os reitores anteriores iam prometendo, mas, de facto, esse projecto atrasou-se muito e temos pena”.
Na sessão solene de comemoração dos 42 anos do ICS, Helena Sousa destacou as conquistas alcançadas. “Este último ano foi especialmente importante para o ICS. A licenciatura em Protecção Civil e Gestão do Território foi finalmente autorizada pelo governo e está a funcionar com 18 estudantes. São os pioneiros numa formação fundamental para o nosso país”.

A presidente do ICS destacou ainda a implementação do Mestrado em Comunicação de Ciência que conta com a colaboração da Escola de Ciências e que arrancará no próximo ano lectivo. “A Comunicação em Ciência é uma área estratégica para o ICS e para toda a universidade. É uma área de conhecimento transversal a todas as entidades que se relacionam com as políticas científicas e com a produção da ciência, tanto da esfera pública como privada, tanto no plano nacional como internacional”, afirmou Helena Sousa, realçando que “sem a comunicação de ciência não há reconhecimento da utilidade social do que fazemos”.

Na área do ensino, a presidente da escola fez referência ao projecto inter-universitário submetido à A3ES para aprovação. Trata-se de um Mestrado em Turismo com a UTAD - Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro.
Sobre o ICS, a presidente referiu que o Instituto é apoiado em cinco centros de investigação classificados pela FCT com Excelente e Muito Bom. Ao nível do ensino, possui 6 licenciaturas, 8 mestrados, 7 doutoramentos, trabalhando o ICS sempre em rede com outras escolas da UMinho.
Um percurso notado pelo reitor da UMinho, Rui Vieira de Castro, que considera o “ICS uma escola absolutamente essencial para a universidade completa que quer acolher no seu seio todas as áreas de conhecimento e isso significa manter e reforçar o peso que as ciências sociais e humanas sempre tiveram na nossa instituição”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.