Correio do Minho

Braga, sexta-feira

Quarto lugar da Liga algo amargo numa época mais perto dos três grandes
300 anos da Romaria em Honra de Nª Srª dos Remédios do Arco de Baúlhe

Quarto lugar da Liga algo amargo numa época mais perto dos três grandes

'A Magia da Disney' em Fafe

Desporto

2018-05-15 às 06h00

Joana Russo Belo

SC Braga fechou campeonato no quarto lugar, numa época marcada por uma aproximação aos três grandes. Guerreiros estiveram a lutar pelo segundo lugar até à penúltima jornada e bateram vários recordes internos. É a melhor marca pontual da história.

Um quarto lugar com sabor algo amargo, numa época em que o SC Braga se aproximou aos três grandes. A equipa arsenalista fechou a temporada no quarto posto da I Liga, pela quinta vez na última década, mas a classificação sabe a pouco pela qualidade apresentada em campo e recordes batidos pela formação orientada por Abel Ferreira.
Guerreiros do Minho terminaram com 75 pontos - a melhor marca pontual da história do clube no principal escalão nacional - a apenas três pontos do Sporting, terceiro classificado, e mais 24 pontos do que o quinto, o Rio Ave, distanciamento que reflecte a aproximação aos três grandes. No entanto, fica o sentimento entre a família bracarense de que algo mais podia ter acontecido, até porque, os arsenalistas lutaram até à penúltima jornada pelo segundo lugar de acesso à Liga dos Campeões - falhado com o empate caseiro diante do Boavista - e desperdiçaram uma posição no pódio face ao desaire em Vila do Conde, frente ao Rio Ave, onde uma vitória teria permitido fechar no terceiro posto, mediante o desaire dos leões, na Madeira.

Apesar de alguma frustração, os números dão conta de uma caminhada brilhante em termos de campeonato, classificada por Abel Ferreira como mágica: os bracarenses bateram o recorde de pontos conquistados em termos absolutos, somando mais quatro do que os alcançados por Domingos Paciência, em 2009/10, quando estiveram a lutar pelo título até à ultima ronda; bateram o número de vitórias no campeonato (24); estiveram 12 jornadas sem perder (10 vitórias e dois empates); festejaram 101 golos marcados em todas as provas, sendo mesmo o terceiro melhor ataque da I Liga e o mais profícuo fora de portas, com 37 golos, mais sete que o campeão FC Porto.
O futebol ofensivo e de qualidade foi mesmo a imagem de marca deste SC Braga de Abel Ferreira, o que permitiu ser a equipa que mais engordou em relação à época passada da I Liga, ao somar mais 21 pontos - a formação arsenalista passou de 54 para 75 pontos - e apontar mais 23 golos, passando de 51 para 74. Bracarenses concederam menos sete tentos, de 36 para 29, melhorando o saldo total de +15 para +45.
Neste capítulo, e em termos individuais, o destaque vai para Paulinho, avançado que se estreou na I Liga, vindo do vizinho Gil Vicente, e marcou 13 golos, conquistando o título de melhor marcador da equipa.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.