Correio do Minho

Braga, quinta-feira

Programa ‘Verão no Campus’ mostra o futuro a partir da UMinho
Programa de ’Saúde Oral’ para os famalicenses

Programa ‘Verão no Campus’ mostra o futuro a partir da UMinho

Vivências barrocas encantam nos Biscainhos e Praça Municipal

Ensino

2018-07-24 às 06h00

Redacção

Cerca 350 alunos do secundário de Portugal, Brasil, Itália e Japão realizam até sexta-feira, actividades do programa ‘Verão no Campus’, em Braga e Guimarães.

Retenham o gosto de aprender, estudar e trabalhar, mas também as preocupações sociais, ambientais e solidárias. Retenham a curiosidade, o querer saber e aprender mais, o nunca estarmos satisfeitos no conhecimento. Sigam os vossos sonhos e não parem de evoluir, sempre com referenciais de ética”, resumiu ontem a vice-reitora para a Educação da UMinho, perante um lotado auditório A1, no campus de Gualtar, em Braga.
Margarida Casal considerou “um prazer” promover esta iniciativa, agradecendo a todos os participantes, além dos docentes, investigadores e alunos monitores que apoiam as várias centenas de jovens a “experimentarem uma possível profissão”.

O contingente internacional de participantes vem da Europa, Ásia e América, destacando-se 30 alunos do Brasil.
“Na UMinho temos praticamente todas as áreas do saber e esta semana é uma pequena montra, com programas intensos de palestras e ações laboratoriais, mas também de momentos desportivos e culturais”, realçou a vice-reitora para a Educação. “Queremos auxiliar-vos na escolha de um curso superior, dando um conhecimento mais profundo da vossa área de vocação. Se decidirem estudar cá, não vos vamos largar, vamos abrir-vos a novos projectos”, acrescentou.

A responsável valorizou ainda a importância de contactar novos colegas, de conhecer as dinâmicas do ensino superior e de reter os vários programas da UMinho, como os prémios de mérito, o ensino especial, as tutorias e a rede de antigos alunos.
Já a directora do departamento pedagógico da Associação Académica da Universidade do Minho evidenciou as vertentes disponibilizadas por esta entidade, como empreendedorismo, voluntariado, cultura, pedagogia, desporto, comunicação e recreação. “Estamos sempre prontos a ajudar, somos a ponte dos alunos ao longo da sua jornada”, esclareceu Catarina Ferreira.

As Ciências como vocação de um admirável mundo novo

Em “Matemática, estatística e computação” estreiam-se, entre outros, as vimaranenses Sara Silva, de 16 anos, e Sara Gonçalves, de 18 anos, que acaba de se candidatar para entrar nesta licenciatura da UMinho em setembro. A expectativa é grande. O grupo testou ontem a destreza em jogos matemáticos, com a docente Cláudia Araújo, no campus de Gualtar, em Braga. Hoje trabalha aplicações e Excel no campus de Azurém, Guimarães, e mais tarde terá sessões laboratoriais, de lógica, de números perdidos e de programação.
Em ‘QSI - Química sob investigação’, 26 alunos e o professor João Carlos Marcos estiveram ontem a purificar uma molécula de ADN, usando misturas de polímeros e sais para separar de outras moléculas. A debutante Mariana Gonçalves, que estuda na Alfacoop, em Ruilhe, Braga, adorou: “Tinha vindo ao ‘Open Weekend’, à Escola de Medicina, mas a Química ‘despertou-me uma luz’ agora que vou para o 12.º ano”.

Tiago Teixeira, do Colégio João Paulo II, está no “Verão no Campus” pelo terceiro ano, após passar por ‘Robótica’ e ‘Engenharia de Novos Materiais’. “O meu futuro pode passar por aqui”, disse. Também repetente, Nuno Cary, do Colégio D. Diogo de Sousa, elogiou os equipamentos e o ambiente laboratorial. Nos próximos dias, o grupo visitar outros espaços de investigação e testar a química forense e da cor, a nanotecnologia e apresentar trabalhos.
A ECUM disponibiliza ainda as actividades ‘Biologia vegetal aplicada e no sector agro-alimentar’, ‘Sensores e recolectores de energia’ e ‘Baterias recarregáveis de ião-lítio’.

Nos estúdios da Rádio Universitária do Minho (RUM), experimenta-se as várias vertentes da programação, música, voz e aspectos associados como sonoplastia, informação ou até vídeo, pois também há canal de televisão.
“Os participantes têm curiosidade sobre como tudo funciona e, mesmo que não sigam a área, pode ser útil para o seu futuro”, explicou a Elisabete Apresentação, directora de programação.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.