Correio do Minho

Braga, terça-feira

Prisão preventiva para suspeito de matar homem a tiro
Mercadinho de Natal de Famalicão com os melhores produtos locais

Prisão preventiva para suspeito de matar homem a tiro

Gerações lança campanha solidária para apoiar associações concelhias

Casos do Dia

2018-07-10 às 06h30

Redacção

Tragédia que ocorreu em Arco de Baúlhe, em Cabeceiras de Basto.

Um juiz de instrução criminal no Tribunal de Guimarães aplicou ontem prisão preventiva ao presumível autor do disparo que, no domingo, matou um homem em Arco de Baúlhe, Cabeceiras de Basto, disse à Lusa fonte judicial.
O juiz optou pela mais gravosa das medidas de coação, a mesma que tinha sido pedida Ministério Público, face ao perigo de fuga e perigo de perturbação da ordem e tranquilidade públicas.
Além disso, o juiz justificou a medida com a possibilidade de retaliação, pelo que o arguido estaria em risco se ficasse em liberdade.
O homicídio aconteceu na madrugada de domingo, na rua do Arco, no final da Festa Branca, e após um desentendimento entre os dois homens, que eram da mesma freguesia. “O suspeito abandonou o local e foi buscar a arma”, explicou fonte da GNR, indicando que o alerta foi dado às 6.43 horas.

Em declarações à Lusa, Pedro Miguel Carvalho, advogado do arguido, disse que este, no domingo, confessou o crime à Polícia Judiciária (PJ), tendo-se declarado arrependido e descreveu as circunstâncias em que o mesmo ocorreu, revelando que não era sua intenção matar e lamentando o “trágico desfecho” e a perda de uma vida.

“Hoje (ontem), não fazia sentido estar a repetir tudo, pelo que a defesa entendeu que, em termos processuais, agora só seria de prestar declarações em julgamento, esperando que nessa altura a verdade sobre todas as circunstâncias que antecederam o crime e em que este teve lugar sejam reveladas. Existem muitas versões sobre os factos e maioritariamente são falsas”, acrescentou Pedro Miguel Carvalho. Acrescentou que o tribunal “pode e deve” valorar as declarações prestadas perante a PJ e que é “manifesto que arguido está a prestar toda a colaboração necessária para a descoberta da verdade.
“Assim o fez e fará em sede julgamento”, disse ainda o advogado.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.