Correio do Minho

Braga, sexta-feira

PJ detém mulher para cumprir 20 anos de prisão por homicídio e roubo
Pavilhão Multifuncional será construído em na Escola de Igreja de Sande S. Martinho

PJ detém mulher para cumprir 20 anos de prisão por homicídio e roubo

Comemorações do Dia do Exército começam este sábado em Guimarães

Casos do Dia

2018-07-16 às 06h00

Redacção

Polícia Judiciária deteve hoje a mulher que tinha sido condenada pelo homicídio de um empresário ocorrido em Dezembro de 2008. Vai cumprir 20 anos de cadeia.

A Polícia Judiciária de Braga deteve hoje uma mulher de 41 anos para o cumprimento de 20 anos de prisão por homicídio qualificado e roubo a um homem em 2008.
A força policial explicou em comunicado que “os crimes ocorreram em Dezembro de 2008, sendo que a vítima, um homem com então 28 anos e empresário do ramo automóvel, desapareceu no dia 17 daquele mês e foi encontrado quatro dias depois, já sem vida, na Pedreira de Montariol, próximo da Cooperativa de Braga”.
“A vítima foi ainda roubada e o veículo automóvel que usava à data do desaparecimento incendiado”, acrescentou a PJ.

A mulher foi entregue num estabelecimento prisional para cumprimento da pena.
Este foi um dos casos mais mediáticos na altura do crime do julgamento.
Recorde-se que o colectivo de juízes do Tribunal de Braga deu como provado que, a 21 de Dezembro de 2008, a arguida, que tinha então 36 anos, atraiu a vítima ao seu apartamento com o pretexto de com ela manter relações sexuais.
Logo após, os outros dois arguidos deste processo, de 29 e 26 anos na altura, agrediram a vítima com o intuito de a roubarem e, depois de não conseguirem extorquir-lhe o que desejavam, decidiram matá-la para que ela não os reconhecesse.

Para tal, atiraram-na da pedreira (com uma altura de 40 metros), tendo a vitima morrido em consequência dessa queda. A viatura do homem foi depois incendiada.
Os arguidos foram acusados de três crimes, homicídio qualificado, roubo e dano com violência.
Foram condenados, em cúmulo jurídico, a 20 anos de cadeia, no caso da arguida, 21 anos e seis meses no do arguido mais novo e a 22 anos no do terceiro arguido.
O tribunal decidiu ainda que os arguidos teriam que pagar uma indemnização total de cerca de 170 mil euros à companheira da vítima, que estava grávida de três meses quando os factos ocorreram, e à filha dela, entretanto nascida.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.