Correio do Minho

Braga, quarta-feira

Junta prepara 17.ª edição do Dia de Martim
CDS-PP pede continuidade da gestão privada e novo concurso para o Hospital de Braga

Junta prepara 17.ª edição do Dia de Martim

Alteração do Plano Diretor Municipal de Celorico de Basto em discussão pública

Cávado

2018-08-12 às 15h00

Redacção

NO DIA 15 DE AGOSTO, o campo da freguesia volta a juntar martinenses, familiares e amigos para celebrar o Dia de Martim. Junta de Fregueisa de Martim organiza pela 17.ª vez consecutiva esta actividade, que apresenta programa recheado.

A 17.ª edição do Dia de Martim está a chegar. O campo da freguesia já está pronto e repleto de mesas e bancos para famílias e amigos se reunirem no próximo dia 15 de Agosto. A Junta de Freguesia de Martim mantém “bem vivo” este dia que já é uma tradição para os martinenses, familiares e amigos que se juntam à “grande festa”.
Para o presidente da Junta de Freguesia de Martim, António Carvalho, o Dia de Martim é “o orgulho” de todos. “Somos uma terra muito bairrista e um dia como este faz todo o sentido. O Dia de Martim é, como diz o povo, ‘a nossa cara’. Por isso, todos os anos o repto é lançado e os martinenses, e não só, marcam presença e participam nas inúmeras actividades que se realizam ao longo do dia”, sublinhou o presidente.
O dia promete, como sempre, muito convívio e boa disposição. Aqui e ali reúnem-se famílias e amigos. Os emigrantes ‘matam saudades’ e os que já não vivem na terra lembram tempos passados. “O nosso amor à terra e o bairrismo são o que nos define como martinenses e durante o dia 15 de Agosto esses sentimentos são vividos e sentidos de forma muito intensa. Fomos muito felizes na ideia, na altura inédita, mas também só podia ter sucesso.”, assegurou António Carvalho.
A essência do projecto mantém-se e de ano para ano, afirmou o autarca, “ficou a certeza que o Dia de Martim é o exemplo mais intenso de bairrismo dos martinenses”. E o presidente justificou: “só quem participa é que consegue perceber a dimensão que o Dia de Martim atingiu, bem como viver e sentir o espírito e o orgulho martinenses. Mesmo quem não nasceu ou não vive em Martim e tem passado este dia com os martinenses deixa o ‘lugar reservado’.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.