Correio do Minho

Braga, sábado

É importante que o país aumente o número de cidadãos que fazem um curso superior
Guerreiros do Minho não abrandam na luta pelo terceiro lugar

É importante que o país aumente o número de cidadãos que fazem um curso superior

José Peseiro quer aproveitar "necessidade do Feirense"

Braga

2018-03-18 às 07h00

Paula Maia

Presidente da Católica, que ontem presidiu à sessão solene de bênção e entrega dos diplomas e prémios, sublinhou a impor-tância da formação superior não só como bilhete de entrada para o emprego, mas como factor de desenvolvimento pessoal.

Um curso superior não é apenas um instrumento, uma espécie de bilhete de entrada em empregos diversos.?Essa é uma perspectiva muito limitada, que não podemos partilhar. Uma formação superior é, antes de tudo, um instrumento de desenvolvimento pessoal do estudante, que terá impacto sobre muitas dimensões da sua existência. As palavras são do presidente do Centro Regional de Braga da Universidade Católica, João Duque, que, durante a sessão solene de bênção e entregue de diplomas e prémios a Licenciados e Mestres do ano lectivo 2016/ 2017, sublinhou a importância de um país como o nosso aumentar significativamente o número de cidadãos que fazem um curso superior não apenas para criar trabalhadores mais especializados, e assim aumentar o sua capacidade de concorrência internacional, mas antes de tudo para elevar o nível cultural da população, com todo o impacto pessoal, social e mesmo financeiro que esse processo claramente terá, como é fácil verificar, aliás, em países em que isso acontece há mais tempo.
João?Duque parabenizou todos os diplomados e premiados nesta sessão, sem esquecer também os seus familiares para quem esta festa pressupõe muito esforço e sacrifício, os parceiros que ajudaram a reconhecer o mérito dos estudantes, assim como o pessoal docente e não docente que integra a instituição.
Presente na sessão, a reitora da Universidade Católica Portuguesa, Isabel Capeloa Gil, veio a Braga falar de mudança, não só a nível institucional - anunciando que a Universidade Católica irá brevemente apresentar novos projectos inovadores cruzando a tecnologia com diferentes sabres - mas também como agente de mudança pela autonomia dos cidadãos, para a busca da liberdade, para solidificação dos mecanismos de justiça social, de uma economia saudável e éticamente sustentável e, sobretudo, para o avanço do conhecimento e para construção de uma vida melhor.
Incitou ainda os graduados a honrar a tradição de qualidade da Católica e a viver a vida com alegria.
D. Jorge Ortiga, arcebispo Primaz de Braga e patrono deste Centro Regional, inspirou-se no pensamento do Concilio Vaticano II para dizer que a finalidade das universidades de inspiração cristã é criar homens verdadeiramente notáveis pela doutrina, preparados para aceitar os mais importantes cargos na sociedade, sendo testemunhas da fé.
Recorrendo ainda à Constituição Apostólica do Papa Francisco refere, o arcebispo, referindo-se uma vez mais às faculdades eclesiásticas, sublinha a importância de construir lideranças que tracem o futuro. É esse o meu augúrio na certeza de que precisamos dessas lideranças e que sejamos capazes de dar o nosso contributo para que o mundo possa ser melhor, remata o patriarca.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.