Correio do Minho

Braga, sexta-feira

Guerreiros foram intensos eficazes e souberam sofrer
Mercearia da Joana serve tradição em estilo ‘gourmet-chic’

Guerreiros foram intensos eficazes e souberam sofrer

Feira e Festas de S. Miguel arrancaram com grande animação

Desporto

2018-09-01 às 06h00

Carlos Costinha Sousa

SC Braga sofreu para vencer em Chaves, mas aguentou a vantagem que o golo solitário de Pablo construiu para somar mais três pontos e isolar-se na liderança da I Liga, ainda que à condição.

Mais três pontos para a liderança, ainda que à condição. O Sporting Clube de Braga conquistou, ontem, por 1-0, em Chaves, mais três preciosos pontos para as suas contas da I Liga, num duelo difícil contra uma equipa flaviense muito determinada, perigosa, mas que sossobrou perante o golo de Pablo.
Os primeiros 45 minutos da partida valeram, praticamente, apenas pelo golo apontado por Pablo e que colocou o SC Braga na liderança do encontro. O tento certeiro apareceu ao minuto 43, depois de uma jogada de insistência dos bracarenses na área do Desp. Chaves.
Até esse momento, praticamente apenas três jogadas a destacar: a primeira, logo aos cinco minutos, quando Avto rematou para defesa fácil de Tiago Sá; seguiu-se a primeira grande iniciativa ofensiva dos bracarenses, com Wilson Eduardo a desmarcar-se na direita e a rematar com força à barra da baliza flaviense, quando corria o minuto11; a terceira, aos 27 minutos, viu Perdião enviar a bola também à trave bracarense. Depois disso, apenas o golo de Pablo que acabou por levar os Guerreiros do Minho em vantagem para o intervalo e que acabaria mesmo por permitir aos arsenalistas somarem mais três pontos na sua luta na I Liga.
Isto porque, nos segundos 45 minutos da partida, o SC Braga praticamente só se limitou a gerir o resultado que tinha no marcador e a aguentar a curta vantagem, perante uma formação do Chaves muito pressionante na procura do golo do empate, conseguindo aproximar-se várias vezes com perigo da baliza dos bracarenses, ainda que sem conseguir marcar.
Primeiro, logo no início da segunda parte, foi Avto que rematou de longe, muito forte, mas ao lado, aos 47 minutos. Seguiu-se, apenas dois minutos depois, remate perigoso de Perdigão, sem ângulo, a que Tiago Sá respondeu com boa defesa. Dois minutos volvidos e Perdigão, novamente, com uma remate que saiu ao lado. Aos 64, William rematou ao lado e aos 88, depois de uma saída mais infeliz do guarda-redes arsenalista, Maras rematou muito por cima.
Enquanto isso, o SC Braga defendia a vantagem com unhas e dentes e não conseguia criar situações de perigo para os flavienses. Valeu a entrega e dedicação dos Guerreiros do Minho para aguentar a vantagem e o triunfo acabou por se confirmar.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.