Correio do Minho

Braga, quinta-feira

Greve de professores chega sexta-feira a escolas da região
Associações bracarenses promovem valores europeus junto dos cidadãos

Greve de professores chega sexta-feira a escolas da região

Viana do Castelo investe 300 mil euros para desenvolver programa de promoção do sucesso escolar

As Nossas Escolas

2018-03-14 às 06h00

Redacção

Sindicatos de professores convocaram paralisação pelo descongelamento de carreiras. Greve afecta escolas do Norte esta sexta-feira.

A greve de professores convocada pelos sindicatos do sector afectam as escolas dos distritos de Braga e Viana do Castelo esta sexta-feira, dia 16 de Março.
Na segunda-feira, sindicatos dos professores e Ministério da Educação não chegaram a acordo em relação à contagem do tempo de descongelamento das carreiras.
A tutela admite descongelar dois anos e dez meses de tempo de serviço aos docentes, enquanto estes não desistem de ver contabilizados os nove anos e quatro meses.
Como não chegaram a acordo, os professores mantiveram a greve até sexta-feira.

A reunião juntou os ministérios da Educação, representado pela secretária de Estado Adjunta e da Educação, Alexandra Leitão, e das Finanças, representado pela secretária de Estado da Administração e do Emprego Público, Fátima Fonseca, as duas grandes federações sindicais da educação (FNE e Fenprof) e outros oito sindicatos mais pequenos.
O Governo deu passos para construir uma proposta exequível, justa e passível de suportar uma solução sustentável, refere o executivo numa nota enviada à agência Lusa.
Segundo a nota, esta proposta assegura a equidade entre as diversas carreiras da administração pública, o que significa considerar os módulos temporais que permitem a progressão em cada carreira, fazendo relevar o período do congelamento de forma análoga.

O Governo considera que as estruturas sindicais não evidenciaram um esforço de aproximação face à sua reivindicação inicial de recuperação de nove anos, quatro meses e dois dias.
Pelo contrário, a única proposta apresentada por escrito inclui mesmo um quadro de recuperação muito superior àquele período, observa
A greve dos professores registou ontem uma adesão entre 60% e 70%, segundo adiantou a Federação Nacional dos Professores (Fenprof), numa conferência de imprensa acompanhada pelos restantes sindicatos que convocaram a paralisação.
Esta é uma grande resposta dos professores no primeiro de quatro dias de greve, disse aos jornalistas o secretário-geral da Fenprof, Mário Nogueira.
Se o Governo não ouviu os professores na negociação vai ouvir na rua, disse o sindicalista, no primeiro balanço sobre a manhã de greve.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.