Correio do Minho

Braga, quinta-feira

Gondiães testou alerta de incêndio florestal
Feira e Festas de S. Miguel arrancaram com grande animação

Gondiães testou alerta de incêndio florestal

INL desenvolve estrutura que capta poluentes farmacêuticos da água

Casos do Dia

2018-06-03 às 14h38

José Paulo Silva

Primeiro simulacro de incêndio florestal de grandes proporções no distrito de Braga decorreu, ontem, em Gondiães, concelho de Cabeceiras de Basto. Operação testou medidas do programa Aldeias Segura e Pessoas Seguras.

A aldeia de Gondiães, no concelho de Cabeceiras de Basto, foi ontem palco do primeiro simulacro de incêndio de grande proporções no distrito de Braga, com o qual se testou um plano de evaquação da população, no âmbito do programa Aldeia Segura, Pessoas Seguras.
Eram dez da manhã quando a sirene instalada na sede da Junta de Freguesia alertou os residentes de Gondiães para a ocorrência de um incêndio na mancha florestal de pinheiro bravo que rodeia a aldeia.

Seguindo os conselhos dos dois oficiais de segurança nomeados, os populares, grande parte dos quais idosos, dirigiram-se para o edifício da desactivada escola primária, indicado como ponto de abrigo.
O simulacro visou, para além de testar a operacionalidade de recursos e meios, preparar a população para eventuais incêndios florestais graves, aumentando a sua protecção contra situações inesperadas.
Duarte Ribeiro, comandante dos Bombeiros Voluntários Cabeceirenses, considerou a operação de ontem uma boa experiência para os 35 operacionais envolvidos e para a população, a qual aumenta significativamente no Verão com as férias dos emigrantes. Toda a população aderiu ao simulacro, destacou aquele responsável, que apontou também a importância da palestra que se seguiu à operação de evacuação, na qual se salientou a importância de, em situações de risco, não ter as pessoas dispersas e preocupadas com os seus bens.

A aldeia de Gondiães viu accionado, em 2005, o plano municipal de emergência em consequência de um grande incêndio florestal que ameaçou residências, mas o comandante dos Bombeiros Cabeceirenses confia que, nesta altura, a localidade está mais bem preparada para uma situação idêntica.
Foram criadas faixas de segurança à volta das casas e houve um grande investimento do Gabinete Florestal Municipal na limpeza das bermas da rede primária de estradas, declarou Duarte Ribeiro ao Correio do Minho.

Estiveram envolvidos no simulacro, para além dos Bombeiros Cabeceirenses, operacionais da Protecção Civil Distrital e Municipal, do Gabinete Técnico Florestal, Polícia Municipal, GNR, Cruz Vermelha?e representantes da União de Freguesias de Gondiães e Vilar de Cunhas e dos Baldios de Gondiães.
Cabeceiras de Basto tem já indicados 27 oficiais de segurança local, cargo criado no âmbito do Programa Aldeia Segura, Pessoas Seguras. Cabe a este elemento avisar a população do perigo e, se for o caso disso, encaminhar as pessoas para os abrigos colectivos, evitando fugas descontroladas.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.