Correio do Minho

Braga, quarta-feira

Freguesias mostraram-se na “festa de todos os arcuenses”
Formalizado pedido para suspender alienação do edifício Confiança

Freguesias mostraram-se na “festa de todos os arcuenses”

Clube Náutico de Prado campeão nacional de Primeiras Pagaiadas

Cávado

2018-08-12 às 06h00

José Paulo Silva

Cortejo etnográfico percorreu, ontem, a Avenida Recontro de Valdevez. Festas de Nossa Senhora da Lapa voltam a atrair hoje milhares de pessoas à vila de Arcos de Valdevez.

“Uma festa para todos os arcuenses”, Nossa Senhora da Lapa “atrai muitos de fora” à vila dos Arcos de Valdevez. As principais festividades do concelho, cujo programa dá especial atenção aos emigrantes que cumprem o habitual mês de férias na terra natal, tiveram ontem à tarde um dos momentos emblemáticos: o cortejo etnográfico com representações de cerca de metade das freguesias do concelho.
“O que temos verificado é um aumento muito grande de pessoas que vêm de fora”, destacou o presidente da Câmara Municipal de Arcos de Valdevez, João Esteves, enquanto observava os últimos ajustes nos carros alegóricos que percorreram a Avenida Recontro de Valdevez, entre as rotundas da Solidariedade e da Ponte Nova.
Se o calor da tarde de ontem ainda reteve muitos na praia fluvial da Valeta e nas frescas margens do rio Vez, a Festa das Rusgas, já noite dentro, haveria de encher o Anfiteatro do Transladário em mais um momento de um programa festivo que, na opinião do edil de Arcos de Valdevez, “ tem motivos de interesse para diferentes públicos e sensibilidades”.
As Festas em Honra de Nossa Senhora da Lapa, que encerram este domingo, são um dos atractivos que chamam milhares de visitantes ao concelho de Arcos de Valdevez. As unidades de alojamento não respondem à procura, considerando João Esteves que é necessário mais investimento privado para resolver “o problema da capacidade hoteleira que está esgotada”.
Recentemente, o concelho passou a dispor da oferta do Hotel Ribeira e para o próximo ano deverá estar em funcionamento um nova unidade de alojamento no Solar de Requeijo, enquanto se aguarda o início de obras do Hotel do Mezio.
Sistelo, freguesia que por critério de selecção não esteve representada no cortejo etnográfico deste ano das Festas de Nossa Senhora da Lapa, tem contribuído para o aumento da afluência de turistas ao concelho de Arcos de Valdevez. Desde que foi seleccionada como Aldeia Maravilha de Portugal, em Setembro de 2017, e classificada como monumento nacional em Janeiro deste ano, Sistelo já viu abrir dois restaurantes e mais dois ou três bares junto à ecovia do Vez. Há também mais procura das unidades de alojamento e pessoas interessadas em comprar imóveis para instalar novas unidades de alojamento.
“Vamos reiniciar as obras do Castelo de Sistelo para a instalação de um centro interpretativo da biodiversidade e de promoção e venda de produtos locais”, adiantou ontem o presidente da Câmara Municipal ao Correio do Minho. No cortejo que funciona como mostra de usos e costumes, mas também a história de cada freguesia, Cabreiro apresentou num seus carros alegóricos uma réplica da ponte medieval do século XV que a autarquia local está apostada em classificar como monumento nacional, como adiantou ao Correio do Minho o presidente da Junta de Freguesia, João Carlos Barbosa. As ‘lavadeiras do rio’ foi outro quadro apresentado por esta freguesia.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.