Correio do Minho

Braga, terça-feira

Festa da História é “imprescindível” para a economia de Esposende
Mil a correr pelos direitos humanos

Festa da História é “imprescindível” para a economia de Esposende

Musealização das ruínas romanas das Carvalheiras cria parque urbano

Cávado

2018-09-02 às 06h00

Miguel Viana

Evento recriou, durante quatro dias, as principais actividades económicas e sociais da história do concelho de Esposende. Feira atraiu milhares de pessoas ao centro da cidade.

Milhares de pessoas assistiram, ontem à tarde, ao Cortejo de Recepção a El Rey D Sebastião, inserido na programação da Festa da História de Esposende, que este ano tem como tema ‘Terra de Mareantes.

O evento, organizado pela Câmara Municipal de Esposende, em colaboração com a Associação Comercial e Industrial de Esposende, decorreu durante quatro dias, com a finalidade de dar a conhecer a história do concelho.
“Pretendemos, com este evento, mostrar que Esposende tem história. A edição do ano passado resultou muito bem e este ano resolvemos fazer outra vez a festa, mas com o tema dos mareantes. Fomos buscar essa vertente da nossa história”, afirmou Benjamim Pereira, presidente da Câmara Municipal de Esposende.

O autarca lembrou que muitos dos barcos feitos no decorrer do século XVI saíram dos estaleiros que existiam em Fão, “onde antigamente o rio Cávado desaguava no mar.”

A principal motivação do evento é promover “as potencialidades turísticas do concelho, através da música, da dança e de pequenos espectáculos”, declarou Benjamim Pereira.
O autarca garantiu que o modelo da festa é uma aposta ganha. “Temos registado uma enchente total, Este é um modelo que agrada a todos. É uma festa familiar e um investimento imprescindível para o concelho de Esposende”, frisou o autarca de Esposende.

Benjamim Pereira garantiu a realização da edição do próximo ano “sempre com o conceito de inovação. Queremos fidelizar o público que nos visita de Braga, Guimarães, ou do Porto, e isso só se consegue com inovação”.
No que se refere aos expositores e comerciantes, a satisfação “é total. Tenho contactado os comerciantes do concelho e as pessoas estão satisfeitíssimas. A cidade toda está a ganhar com a festa e a funcionar bem”, garantiu Benjamim Pereira.

O cortejo incluiu a Leitura da Carta Régia , pelo arauto mor do reino. No documento foram transmitidas algumas leis régias, como por exemplo a obrigatoriedade de transferido algum gado para a zona de Ofir.
Porco assado no espeto, sandes de presunto e pestiscos variados são servidos na zona da Igreja e no Largo Fonseca Lima.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.