Correio do Minho

Braga,

Feirense surpreende em Guimarães
Incubadora de base rural ajuda a cultivar a agricultura do séc. XXI

Feirense surpreende em Guimarães

Maioria aprova plano e orçamento para 2019 da Câmara de Braga com “compromissos do passado”

Desporto

2018-08-21 às 06h00

Rui Serapicos

Ex-vimaranense sturgeon “traiu” a sua anterior equipa e apontou ontem, no Estádio D. Afonso Henriques, o golo que valeu a vitória do Feirense. Vitória SC?continua sem pontos.

Sturgeon, ao minuto 88, marcou para o Feirense, assistido por Babanco, com um remate bem colocado que não deu hipóteses a Douglas. A vencer, a equipa que viajou de Santa Maria da Feira fechou-se e conquistou, ontem, no jogo que fechou a segunda jornada, três pontos no Estádio D. Afonso Henriques.
O Feirense junta-se a FC Porto, Benfica e Sporting, formando o quarteto que comanda, com duas vitórias em dois jogos, a I Liga.
Ao invés, os minhotos, que averbaram a segunda derrota, continuam sem somar um único ponto.
O jogo principiou e acabou com sinal mais da equipa vimaranense. O fluxo ofensivo dos pupilos de Luís Castro, com um ascendente avassalador na posse de bola e no domínio territorial, não teve, porém expressão em oportunidades de golo, dado o rigor com que o Feirense exercia a sua acção defensiva, fechando espaços para a baliza de Caio Secco. Mesmo o ponta-de-lança Edinho chegava a recuar à sua propria área, para ajudar os seus companheiros de equipa.

Aos 8 minutos, Celis caiu na área do Feirense a reclamar falta do lateral direito Edson Farias, mas o árbitro Hugo Miguel, não viu falta e mandou seguir.
À passagem da meia hora, o juiz lisboeta ordenou paragem para os jogadores se hidratarem.
O caudal dos vitorianos tinha, como consequência, sucessivos pontapés de canto e livres, mais ou menos próximos à área da equipa visitada, mas sem efeitos.
Crivellaro, médio do Feirense que já representou o emblema vitoriano, esteve ao minuto 33 perto de marcar, numa incursão pela faixa central que culminou com um remate, a centímetros do poste.
O Vitória relançou a pressão sobre a área forasteira. Após um canto de Tyler Boyd, saiu muito ao lado o remate de Davidson.
André André lançou Welthon, mas este, sem ângulo de remate, viu-se desarmado por Babanco.

Apesar de as estatísticas darem expressão de um domínio acentuado dos minhotos, com 64% de posse de bola, noutros indicadores as contas eram mais equilibradas e, principalmente no que mais interessa, chegou sem golos o intervalo.
No reatamento, André Andre teve, junto à marca de grande penalidade, tempo e espaço para visar a baliza do Feirense, mas atirou à figura de Caio Secco.
Inconformado, à entrada na última meia hora o treinador dos vimaranenses, Luís Castro, fez duas alterações.
Ao minuto 68 dá-se o “caso” em que Florent, a atacar pela esquerda, entra na área do Feirense e cai após choque com Edson Farias. Hugo Miguel consultou o vídeo-árbitro e assinalou uma falta atacante dos vitorianos, ainda fora da área, anterior àquele choque.

À?entrada no último quarto de hora Luís Castro esgota as suas substituições, lançando Ola John. O cerco dos minhotos sobre a defensiva do Feirense acentuou-se. Ao minuto 80, Tyler Boyd entrou pela esquerda e disparou um remate cruzado que descreveu uma paralela à linha de golo, sem ninguém a emendar.
Também a equipa de terras de Santa Maria esteve na resposta perto do golo, num ataque protagonizado por Luís Machado, que se isolou pela direita, mas Douglas parou-lhe o disparo.
Mas já não conseguiu travar o remate de Sturgeon, decisivo no triunfo do Feirense, em pleno Estádio D. Afonso Henriques.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.