Correio do Minho

Braga,

- +
Feira Medieval revela património monástico pouco conhecido
Ricardo Sá Pinto: “Continuar inspirados e ser eficazes”

Feira Medieval revela património monástico pouco conhecido

“Divido este prémio com muita gente”

Feira Medieval revela património monástico pouco conhecido

Alto Minho

2019-07-13 às 06h00

Miguel Viana Miguel Viana

O modo de vida dos conventos existentes, ou que existiram, no concelho de Caminha inspiraram a edição deste ano da Feira Medieval. Evento pretende chamar milhares de pessoas ao centro histórico.

'Caminha Monástica’ é o tema da edição deste ano da Feira Medieval de Caminha, que decorre no centro da vila de 24 a 28 de Julho.
A feira, que o presidente da Câmara Municipal de Caminha, Miguel Alves, apontou como sendo “uma das cinco melhores feiras medievais do país”, pretende dar a conhecer um património ainda pouco conhecido.
“Todos os conventos que foram fundados em Caminha, tudo aquilo que existiu, tudo o que serviu Caminha, marca hoje o território. Trazemos esta vivência monástica até esta feira medieval. A Caminha Monástica é evidente mas nem toda a gente a conhece”, disse o autarca caminhense.
Em termos de programa, a edição deste ano conta com duas novidades. A primeira é a exposição ‘Caminha e as Ordens Monásticas. Os Conventos Caminhenses’, nas Arcadas dos antigos Paços do Concelho. “Vamos ter uma exposição que nos vai mostrar o espólio de um convento que existia na Ìnsua (anterior ao actual castelo) e que as pessoas, genericamente, não conhecem”, apontou Miguel Alves.
A exposição revela ainda os modos de vida nos mosteiros de S. João D’Arga e no antigo Convento de Santa Clara (actual Escola Profissional ETAP).
Na gastronomia, o destaque vai para o pastel de Santa Clara e o Bacalhau à Santa Clara.
Na apresentação do evento, o professor de História Paulo Bento explicou que Caminha sempre teve uma tradição pouco conhecida. “A dimensão conventual de Caminha não é assim tão conhecida. Tivemos ao longo da história, desde a Idade Média até aos tempos actuais, quatro edifícios conventuais com importâncias diversas”, explicou o docente.
O tema foi sugerido pelos professores de História do Agrupamento de Escolas Sidónio Pais, de Caminha.
O programa festivo arranca às 18 horas de quarta-feira (dia 24) com a cerimónia de abertura. Seguem-se as exibições das aves de rapina e as danças do povo. Os malabaristas antecedem as danças orientais .
Ao longo dos cinco dias da feira estão previstos vários momentos de animação levados a cabo por 12 grupos de animação.
O Acampamento Medieval, no Adro da Igreja Matriz, pode ser visitado ao longo de todos os dias da feira.
Os cortejos de abertura (22 horas do dia 24) e de encerramento (22.30 horas do dia 28) dão a conhecer as actividades económicas, religiosas, de caridade, de cultura e de educação dos mosteiros caminhenses. A feira conta com a presença de mais de 100 expositores e associações.
A Feira Medieval decorre em espaços do centro histórico como o Terreiro, o Adro da Igreja Matriz, o Largo do Poço, a Rua das Flores, as Muralhas do Covento, o Largo do Hospital, a Rua de Meios e a Rua do Vau.
Os ‘stands’ funcionam, entre quarta e sexta-feira, das 18 às 01 horas. No sábado, o horário de funcionamento é das 11 às 01 horas e no domingo, entre as 11 e a meia-noite.
Todos os espectáculos têm entrada gratuita.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.