Correio do Minho

Braga, segunda-feira

Feira de Artesanato e Gastronomia conta com mais de uma centena de artesãos
Edição especial BragaNoivos assinala 15 anos com um desfile para noivas XL

Feira de Artesanato e Gastronomia conta com mais de uma centena de artesãos

Obra dá dicas a escolas e pais sobre como lidar com sobredotados

Vale do Ave

2018-08-28 às 22h58

Redacção

No certame, que arranca já esta sexta-feira, vão estrear também uma dezena de artesãos ligados à bijuteria, malha, cerâmica, vidro, tecelagem, gesso e bordados. À riqueza do artesanato juntam-se os sabores da gastronomia.

São mais de uma centena os artesãos que este ano vão marcar presença na Feira de Artesanato e Gastronomia de Vila Nova de Famalicão que arranca já esta sexta-feira, prolongando-se até dia 9. Destes, perto de uma dezena fazem a sua estreia no certame. São artistas da bijuteria, da malha, da cerâmica, do vidro, da tecelagem, mas também do gesso e dos bordados, entre outros, que vêm de vários pontos do país mostrar a sua arte, naquela que já é considerada “a maior Feira de Artesanato e Gastronomia do Minho e um cartaz turístico-cultural de referência nacional”, como refere o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha.

De acordo com o autarca a feira tem ganho qualidade e prestígio de ano para ano, o que faz com que seja cada vez mais concorrida. Tudo isto é, em grande parte, “fruto de uma forte aposta da autarquia na organização e promoção do evento, que tem levado a uma natural selecção do melhor e mais autêntico artesanato nacional a par dos mais genuínos sabores da nossa gastronomia”, acrescenta.
Este ano, realiza-se a 35.ª edição da Feira, “35 anos de crescimento, consolidação e elevação da qualidade”, sublinha o autarca.

À riqueza do artesanato nacional juntam-se os sabores inconfundíveis da gastronomia numa conjugação de saberes e sabores únicos e genuínos. No recinto do antigo campo da feira semana reúnem-se ao longo de dez dias mais de 100 artesãos – muitos deles a trabalhar ao vivo – representantes das várias regiões do país e perto de uma dezena de restaurantes e tasquinhas com as iguarias mais tradicionais. Por aqui, há ainda espaço para os produtores que trazem consigo os vinhos, queijos, presuntos e doces mais puros oriundos de todo o país.
Tudo isto animado com um programa cultural repleto de música tradicional, com o folclore, as concertinas, os cavaquinhos e os cantares ao desafio, mas também rap, fado, jazz, e pop rock.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.