Correio do Minho

Braga, segunda-feira

- +
Famalicão: Apoio à renda contempla quase 250 famílias
Ataques desafinados, má fortuna e sol ardente ditaram nulo entre Dumiense e Brito

Famalicão: Apoio à renda contempla quase 250 famílias

Monção entrega material escolar

Famalicão: Apoio à renda contempla quase 250 famílias

Vale do Ave

2019-05-16 às 06h00

Redacção Redacção

Através do programa municipal ‘Casa Feliz – Apoio à Renda’, promovido pela Câmara, serão apoiadas ao longo de um ano cerca de 250 famílias nas suas despesas com a habitação, o que representa um investimento de quase 252 mil euros.

Através do programa ‘Casa Feliz – Apoio à Renda’, a Câmara de de Famalicão vai apoiar, ao longo de um ano, 248 famílias do concelho nas suas despesas com a habitação, o que representa um investimento de quase 252 mil euros.
Os baixos rendimentos são a principal causa que leva as famílias famalicenses a procurarem apoio junto do município para pagarem as rendas das suas habitações.
De acordo com os dados do programa ‘Casa Feliz, Apoio à Renda’, mais de 65% das 285 candidaturas apresentadas evidenciavam dificuldades resultantes dos baixos rendimentos. Relacionado com esta problemática está o desemprego que afecta 20% das famílias que pediram apoio. Por outro lado, quase 6 % das pessoas estavam em situação de doença e/ou deficiência.
Entretanto, regista-se um conjunto de famílias (8%) que apresentaram problemas relacionados com as despesas elevadas.
No que diz respeito ao tipo de agregado que mais procura apoio destaque para as famílias monoparentais com filhos a seu cargo (36%), sendo de referir também as pessoas que vivem sozinhas (29%).
Os apoios são divididos em três escalões A, B e C, correspondendo a 100 euros, 75 euros e 50 euros mensais. Com o escalão A foram beneficiadas 114 famílias, com o Escalão B 115 e com o Escalão C 19 famílias.
Paulo Cunha, presidente da câmara, esteve com as famílias apoiadas e salientou que “o município está e estará sempre disponível para ajudar quem precisa”.
“Eu só fico de consciência tranquila quando conseguimos ajudar quem precisa, quando conseguimos chegar a toda a gente”.
Neste âmbito, o autarca salientou que o município “está sozinho em todo este processo, sendo que não existe, neste mo- mento, nenhuma outra entidade que apoie a habitação social”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.