Correio do Minho

Braga, sexta-feira

Famalicão: Objetos da comunidade local em destaque no 'Territórios Dramáticos'
'Luz verde' para requalificar a escola EB 2,3 Gonçalo Sampaio

Famalicão: Objetos da comunidade local em destaque no 'Territórios Dramáticos'

VI Festival 'O Mundo Somos Nós' no Museu dos Biscainhos este sábado

Vale do Ave

2018-05-15 às 19h40

Redacção

'Museu da Existência' assinala o arranque do encontro de teatro. A peça tem como inspiração dois livros de Orhan Pamuk, Nobel da Literatura

A segunda edição do 'Territórios Dramáticos' arranca esta sexta-feira. De 18 a 28 de Maio, a vila de Joane, em Vila Nova de Famalicão, acolhe uma mostra de dramaturgia nacional, apresentando espetáculos de companhias como Amarelo Silvestre, Radar 360º ou Hotel Europa e ainda diversas atividades paralelas.

O evento é promovido pelo Teatro da Didascália, sendo que, este ano, a grande novidade é a inauguração do FAUNA, um novo espaço artístico em Joane que será a sede de criação da companhia famalicense e um dos espaços de apresentação dos espetáculos, em articulação com o Centro Cultural de Joane.
 
'Museu da Existência', da Amarelo Silvestre, é o espetáculo de abertura e tem como inspiração os livros 'Museu da Inocência' e 'Um Modesto Manifesto para Museus', do escritor turco Orhan Pamuk, Prémio Nobel da Literatura em 2006. No espetáculo conta-se a história do Sr. Melo que construiu um museu com objetos que as pessoas fazem existir, como a aliança da revolução que acabou com a guerra ou o pão torrado que alimentou um amor clandestino.

A peça envolve um trabalho prévio com o público, tendo em conta que será enriquecida também com objetos de pessoas da comunidade local de Joane. 'Museu da Existência' pode ser visto nos dias 18 e 19 de Maio, no espaço FAUNA, em dois horários: às 18h e às 21h30.
 
Já no domingo, dia 20 de Maio, às 16h, o Centro Cultural da Juventude de Joane (CCJJ) recebe 'O cão que corre atrás de mim (e o avô Elísio à janela)'. Criado por Filipe Caldeira, o espetáculo é para maiores de três anos e apresenta um retrato-memória da infância escrito a quatro mãos: duas que não param quietas; outras duas que as acompanham e observam. Na semana seguinte, podem ainda ser apreciados projetos focados na memória pessoal e coletiva, bem como obras disruptivas e provocadoras do ponto de vista estético e intelectual.
 
Atividades para apreciar em família
No primeiro fim de semana do Territórios Dramáticos estão também programadas duas atividades paralelas. No dia 19, está agendada a primeira sessão de Cear e Falar, após a apresentação de o Museu da Existência. A entrada é gratuita e tem como objetivo impulsionar uma simbiose cultural entre a satisfação de admirar a arte e o contacto com o perfil artístico e gastronómico de cada artista, sempre acompanhado de Vinho Verde. No mesmo dia, mas entre as 10h00 e as 12h30, PLAY chega ao CCJJ: uma oficina lúdica dedicada às famílias e com orientação de Patrícia Amaral (coordenadora do programa de desenvolvimento de públicos do Teatro da Didascália, zOOm: ver melhor). O preço é de cinco euros.
 
Territórios Dramáticos tem como objetivo pensar as práticas de criação teatral sedimentadas em Portugal, privilegiando a pluralidade estética e artística. O preço dos bilhetes, por espetáculo, varia entre os três e quatro euros (com desconto para estudantes, maiores de 65 anos e para grupos de seis ou mais pessoas). As reservas podem ser feitas através do e-mail rp@teatrodadidascalia.com ou do número 912 761 740. A inscrição para a oficina deverá feita através do e-mail patricia@teatrodadidascalia.com ou do número 924 305 850.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.