Correio do Minho

Braga, sexta-feira

- +
Estudantes da UMinho, IPCA, ISAVE, e Católica saíram à rua para celebrar Enterro Gata
RC6 cozinhou almoço solidário para os sem abrigo de Braga

Estudantes da UMinho, IPCA, ISAVE, e Católica saíram à rua para celebrar Enterro Gata

Braga aproxima-se de Angola e assina acordo com a Província de Huila

Estudantes da UMinho, IPCA, ISAVE, e Católica saíram à rua para  celebrar Enterro Gata

Ensino

2019-05-16 às 13h00

Marta Amaral Caldeira Marta Amaral Caldeira

A festa dos estudantes saiu ontem à rua para mais um Enterro da Gata. Um dia que para muitos estudantes fica marcado pela celebração ‘em grande’ da entrada na academia e para outros pelo final do percurso académico, pensando já no arranque da vida profissional.

A festa dos estudantes saiu ontem à rua para mais um Enterro da Gata. Um dia que para muitos estudantes fica marcado pela celebração ‘em grande’ da entrada na academia e para outros pelo final do percurso académico, pensando já no arranque da vida profissional.
Foi sob um sol abrasador que o tradicional cortejo do Enterro da Gata percorreu as principais artérias do centro da cidade, mas com os carros um tanto despidos de flores e com poucas críticas sociais à vista. A festa, essa, fez-se na mesma para centenas de estudantes da Universidade do Minho, mas também para os estudantes de outros estabelecimentos de Ensino Superior da região, que se juntaram às celebrações, como o Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA), o Instituto Superior de Saúde do Ave (ISAVE) e a delegação regional de Braga da Universidade Católica Portuguesa.
Os Bomboémia abriram o desfile, imprimindo o ritmo dos seus bombos à festa, e o carro da Associação Académica da Universidade do Minho (AAUM), com a gata a nortear o percurso, foi aquele que mais críticas deixou, sobretudo ao governo.
Nuno Reis, presidente da AAUM, explicou à reportagem do jornal ‘Correio do Minho’ que a principal mensagem a deixar pelos estudantes é precisamente no sentido de dar conta do “descontentamento do Ensino Superior relativamente à política que tem vindo a ser seguida”, que caracteriza como “uma política de falta de compromisso”.
O líder da academia minhota sublinhou que “este é, acima de tudo, um dia especial para todos os estudantes em que se comemora o início de um ciclo e o fim de um novo ciclo. É um dia em que se celebram também as causas académicas e uma oportunidade de as mostrar à comunidade em geral”, frisou Nuno Reis.
Quem marcou também presença na tribuna de honra instalada na Avenida Central foi a presidente do ISAVE, Mafalda Duarte, juntamente com o presidente do Grupo Amar Terra Verde, João Luís Nogueira, do qual faz parte o estabelecimento de ensino superior.
“Faz todo o sentido que o ISAVE, enquanto projecto educativo de Ensino Superior situado em Amares, esteja integrado nas festividades académicas do Enterro da Gata, e é com muito orgulho que cá estamos”, referiu Mafalda Duarte. “Somos cada vez mais temos um grupo coeso, que gosta de estar no ISAVE e que vive o espírito do ISAVE”. Palavras corroboradas por João Luís Nogueira, que as “parcerias”. “Cada vez que participamos neste evento sentimos estar a contribuir para a coesão e é com muito orgulho e muita satisfação que vejo os nossos alunos defender a instituição ISAVE, defender o seu projecto de vida académica, no sentido de também exigir de nós o melhor para eles e por isso que o ISAVE colabora no Enterro da Gata”.
Bruno Nobre representou na tribuna a Universidade Católica, destacando que “é muito importante para eles participarem nesta festa porque sublinha também a identidade da universidade”.
Apesar de o cortejo não evidenciar o fulgor de outros tempos, para os estudantes que participam nesta festa, o Enterro da Gata é uma data “memorável”. Patrícia Soares, de Viseu, é estudante de Termalismo do ISAVE e ontem mostrava a sua felicidade. “Tem sido uma óptima escola para mim e agora quero seguir enfermagem”, disse. A frequentar o curso de Finanças do IPCA, Álvaro Dias, elogiou a academia a que pertence e sublinhou o espírito de partilha do cortejo do Enterro da Gata. Os elogios aos cursos que frequentam foram muitos e os estudantes da UMinho foram incansáveis nesse campo. “Somos uma grande academia e sinto-me muito bem preparada para os desafios futuros”, atirou Ana Silva, do curso de Optometria da UMinho.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.