Correio do Minho

Braga, quinta-feira

Estado da arte da arquitectura e design junta nomes consagrados e emergentes
Eurodeputados minhotos: “Temos que continuar a defender a democracia e a liberdade”

Estado da arte da arquitectura e design junta nomes consagrados e emergentes

Câmara de Guimarães oferece pinheiros de Natal para evitar abate de árvores jovens

Braga

2018-12-07 às 07h00

Teresa M. Costa

Trienal BANG 2018 reflecte sobre o estado da arte na arquitectura e no design, hoje e amanhã, trazendo a Braga vários nomes consagrados, mas também alguns emergentes. Dá ainda espaço aos que ainda estão a começar a trabalhar no ‘flashbang’.

Nomes consagrados e outros emergentes da arquitectura e do design estão hoje e amanhã em Braga para a terceira edição da ‘Trienal BANG’ que se propõe abordar o estado da arte, mas também dar a conhecer novos talentos.
Pelo Altice Forum Braga vão passar nomes como o espanhol ‘Fran Silvestre Arquitectos’, a OODA Arquitectos, Fernando Brízio, da área do design, mas também o PI Creative Studio e a Central Arquitectos, entre outros, e que já esgotaram, logo no início desta semana, as inscrições para sábado.
A terceira edição da trienal que arrancou em ano de Capital Europeia da Juventude (CEJ) em Braga inclui espaço para os jovens talentos - o flashbang - mostrarem o seu trabalho, de viva voz e para a mesma plateia que vai ouvir os oradores principais, explicou ontem Vítor Ferreira, um dos arquitectos organizadores do evento a cargo da BANGART .
A Trienal BANG 2018 foi ontem apresentada numa conferência de imprensa que contou com a presença da vereadora da Cultura do Município de Braga, entidade que apoia o evento, Lídia Brás Dias.
Vítor Ferreira reconhece que o apoio do município permite cumprir um dos objectivos do evento que é partilhar e democratizar o evento, proporcionando o acesso gratuito a todas as pessoas. “Ninguém fica de fora, a não ser que não se tenha inscrito” salvaguarda o organizador que confirma cerca de 250 participantes em cada dia.
Lídia Dias lembra que a Trienal BANG foi uma iniciativa importante no âmbito da CEJ 2012 e a segunda edição foi sufragada, de forma positiva, num orçamento participativo geral.
A vereadora da Cultura explica que o evento se enquadra no objectivo, traçado no plano de actividades para 2019, de “trazer à cidade e ao concelho mais momentos de debate e de reflexão sobre diferentes áreas”.
Lídia Dias congratulou-se por ser um evento que emana da sociedade civil e destacou “o equilíbrio entre figuras conhecidos e nomes emergentes dando a estes a oportunidade de se mostrarem”.
A Trienal BANG está organizada em conferências - com oito participações nos dois dias - e exposição.
A exposição, direccionada para as artes plásticas e design é o espaço para os mais jovens, alguns a expor pela primeira vez
“Menos idade não significa menos qualidade” sublinha Vítor Ferreira.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.