Correio do Minho

Braga, segunda-feira

- +
Equipamentos e espaços públicos para mais qualidade de vida
Núcleo expositivo Alberto Sampaio na Oficina

Equipamentos e espaços públicos para mais qualidade de vida

Programa ‘Na’Tal Cerveira’ com 38 dias de animação

Equipamentos e espaços públicos para mais qualidade de vida

Braga

2019-10-20 às 06h00

Patrícia Sousa Patrícia Sousa

São sete áreas, que integram a sexta edição do Orçamento Participativo da Câmara Municipal de Braga. Na edição de hoje, o Correio do Minho dá destaque aos últimos 10 projectos que estão a votação até ao dia 15 de Novembro.

A sexta edição do Orçamento Participativo da Câmara Municipal de Braga conta com 38 projectos a votação divididos por sete áreas. A área ‘Equipamentos (melhoria ou reparação de equipamentos culturais, sociais, etc.) e espaços públicos (jardins, parques, praças, etc.) é a que mais projectos contempla. Da promoção da leitura, passando por actividades direccionadas aos mais idosos e terminando com um projecto dedicado aos gatos, esta área apresenta 10 propostas.
‘Praia Urbana da Rodovia’ é o primeiro projecto desta área a votação. “A praia urbana pretende ser um espaço que vai valorizar ainda mais o Parque Desportivo da Rodovia, sendo coloca- das na parte relvada várias plataformas circulares com fontes enterradas que lançam jactos de água para diversão dos menores e maiores”, pode ler-se no documento, que acrescenta que este espaço “será dotado com guarda-sóis, cadeiras de praia, pontos de água e pulverizadores de água”. Prevê-se ainda, durante a noite, que haja projecção de sessões de cinema ao ar livre, concertos, biblioteca jardim e festas temáticas.

Outro dos projectos a votação é o ‘Jogo na Mesa’. Criar espaços de exercício cognitivo e ao mesmo tempo de convívio de populações, sobretudo mais idosa, é o que se pretende. “Estas actividades relacionais no exterior ajudam a trazer as pessoas para fora de casa, caminharem, cuidar mais do seu visual, sendo um contributo para elevar a auto-estima pessoal e assim, promover uma boa integração e interação sociais”, justifica a proposta. Sugere-se a colocação de mesas e cadeiras na zona exterior ao Parque de São João da Ponte, no Jardim da Avenida Central, no Largo da Carvalheiras e no Parque Desportivo da Rodovia.

Ainda nas propostas a votação na área ‘Equipamentos (melhoria ou reparação de equipamentos culturais, sociais, etc.) e espaços públicos (jardins, parques, praças, etc.) surge a ‘Biblioteca Infanto-Juvenil da Rodovia’. “Apesar das importantes intervenções culturais nos últimos anos, a cidade de Braga continua a carecer de espaços onde as nossas crianças possam não apenas despertar para o hábito da leitura, crucial na sua formação, mas também brincar sem constrangimento”, justifica a proposta apresentada. O que se propõe neste projecto procura “colmatar esta carência” com a construção de um espaço de leitura e brincadeira dentro do actual Parque Desportivo da Rodovia. “O edifício projectado em fachada envidraçada para usufruto da luz e natureza circundante teria estantes a delimitar diferentes espaços de leitura/jogos. O projecto contemplaria ainda a construção de um pequeno parque infantil no espaço contíguo ao edifício e preservando o arvoredo existente, com uma cerca em madeira para que as crianças pudessem desfrutar de brincadeiras na natureza”, explica o documento, exemplificando ainda algumas das actividades possíveis para se realizar naquele espaço.

‘Parque das Gerações’ é mais um dos projectos a votação nesta área, pretendendo construir um parque infantil na zona envolvente à Casa do Povo de Tadim.
“Trata-se de um local relvado de convívio intergeracional com mesas e sombras; uma mini-biblioteca, um mini-auditório ao ar livre, um jardim vertical com plantas aromáticas, um ponto de distribuição de água e a instalação de um ponto wi-fi de acesso livre”, lê-se na proposta. Estas estruturas, acrescenta o documento, “permitirão que os alunos dos jardins de infância e da EB1 da Estação, e não só, possam usufruir de um espaço de aprendizagem inovador e saudável”. O facto de promover o convívio de seniores e crianças “será uma mais valia para o diálogo intergeracional, para combater o isolamento e para a transmissão de valores culturais entre diferentes elementos da mesma comunidade”, conclui.

Ainda na mesma área, surge o projecto ‘Ginástica Sem Frio’. O Agrupamento de Escolas Alberto Sampaio (AESAS) e a Escola Secundária de Alberto Sampaio há mais de 20 anos que acolhe e fomenta o desenvolvimento de Ginástica, seja no âmbito do desporto escolar, seja no âmbito do desporto federado. “A cooperação entre o AESAS e o Clube Artigym, estabelecida nos últimos anos, tem colocado Braga no panorama da Ginástica nacional como uma potência em crescimento e possibilitado a que, cada vez mais bracarenses, possam ter acesso a esta prática desportiva”, enquadra a proposta. Um desses factores está relacionado com as condições de treino inerentes ao pavilhão gimnodesportivo da ESAS. “Este equipamento desportivo apesar da requalificação da escola em 2010, manteve as suas características de ventilação natural. Numa parte significativa do ano, a temperatura do espaço de treinos esteja abaixo do ideal para salvaguardar quer a saúde dos praticantes quer a sua segurança (chega a atingir temperaturas negativas no pico do Inverno)”, informa o mesmo documento.
Esta proposta tem, por isso, como objectivo principal requalificar o conforto térmico e a eficiência energética destas instalações. Desta forma, “pretende-se beneficiar o enorme número de crianças e jovens bracarenses que semanalmente treinam nestas instalações e também aqueles que possam um dia vir a usufruir do mesmo espaço no âmbito da ginástica”, conclui ainda a proposta.


‘Uma Casa do Povo de todos - requalificação de um espaço multiuso’ é outra das propostas apresentadas na área ‘Equipamentos (melhoria ou reparação de equipamentos culturais, sociais, etc.) e espaços públicos (jardins, parques, praças, etc.).
O projecto, apresentado pela associação GUT, de Mire de Tibães, pretende criar a ‘Casa do Povo’, que será “um ponto estratégico para o trabalho em rede e é precisamente aqui que se define o grande objectivo deste projecto: disponibilizar à comunidade mais oportunidades numa vertente ócio, mas também de cidadania activa, valorizando o património histórico e reconhecendo as sinergias locais: grupos/pessoas, ideias, espectáculos”, lê-se na proposta. Pretende-se, por isso, requalificar o edifício Casa do Povo, “melhorando as condições do salão ao nível estrutural e ambiental, e a construção de outras áreas de apoio nomeadamente camarins, sanitários e áreas de actividades para que se possa converter quase num auditório à dimensão local, multifuncional para todas as instituições da freguesia e para a cidade de Braga, parceira nesta caminhada do GUT”.

O ‘Restauro do Edificio da Estufa do Parque da Ponte’ é outro dos projectos a votação nesta área. Com esta proposta pretende-se requalificar o Edifício da Estufa do Parque da Ponte, dando-lhe as condições necessárias a um serviço de melhor qualidade à comunidade. A intervenção, adianta a proposta, inclui a reparação de infiltrações, colocação de película de protecção solar na cobertura e janelas, restauro do chão, restauro do exterior e interior, restauro/modernização da iluminação interior e exterior, recuperação e melhoria da zona envolvente, nomeadamente, as laterais, readaptação do interior à nova realidade e valências do edifício e a aquisição de mobiliário conforme às novas necessidades.

A área com mais propostas a votação inclui ainda o projecto ‘CreScHe a Brincar’. “Criar, melhorar e ampliar estruturas que acolham bebés desde os primeiros meses de vida até aos três anos de idade é uma necessidade bem patente no concelho de Braga”, justifica-se na proposta, que prevê que seja concretizado na freguesia de Ferreiros, servindo esta população e populações circunvizinhas. “A realizar no Centro Social da Paróquia de Ferreiros, a concretização deste projecto social resultará no aumento de 30% da capacidade actual desta valência, e permitirá melhorar a qualidade da prestação do seu serviço com novos equipamentos promotores de um ambiente mais acolhedor, harmonioso e rico para o desenvolvimento integral da criança”, continua a ler-se na proposta.

Por último, de destacar o projecto para a criação do ‘Gatil comunitário e centro de adopção responsável’ também está a votação nesta área. “Este projecto visa o aproveitamento de um jardim público de vasta área, na Rua de Barros, onde existe uma colónia de gatos já controlada pelo programa para a implementação da Captura, Esterilização e Devolução (CED) da Câmara Municipal de Braga”.
Na descrição da proposta adianta-se ainda que “este projecto não pretende substituir-se ao actual Centro de Recolha Oficial (CRO), não seria um local de entrega de animais errantes, mas sim um centro de acolhimento que visa prioritariamente acolher animais dóceis abandonados, ou cujos tutores faleceram ou, ainda, aqueles cujos donos deixam de ter possibilidade de sustentar”. Pretende-se, por isso, que “todos os animais acolhidos neste espaço serão esterilizados, chipados, desparasitados, acompanhados pela visita semanal de um médico veterinário e encaminhados para adopção responsável”.

‘Biblioteca infanto-juvenil’ pode nascer no Parque Desportivo da Rodovia

Ainda nas propostas a votação na área ‘Equipamentos (melhoria ou reparação de equipamentos culturais, sociais, etc.) e espaços públicos (jardins, parques, praças, etc.) surge a ‘Biblioteca Infanto-Juvenil da Rodovia’. “Apesar das importantes intervenções culturais nos últimos anos, a cidade de Braga continua a carecer de espaços onde as nossas crianças possam não apenas despertar para o hábito da leitura, crucial na sua formação, mas também brincar sem constrangimento”, justifica a proposta apresentada.
O que se propõe neste projecto procura “colmatar esta carência” com a construção de um espaço de leitura e brincadeira dentro do actual Parque Desportivo da Rodovia. “O edifício projectado em fachada envidraçada para usufruto da luz e natureza circundante, teria estantes a delimitar diferentes espaços de leitura/jogos. O projecto contemplaria ainda a construção de um pequeno parque infantil no espaço contíguo ao edifício e preservando o arvoredo existente, com uma cerca em madeira para que as crianças pudessem desfrutar de brincadeiras na natureza”, explica o documento, exemplicando ainda algumas das actividades possíveis para se realizar naquele espaço.

‘Stay. Fica e lê’ quer mobiliário urbano para convidar à leitura

‘Stay. Fica e lê’ é outro dos projectos nesta área que pretende promover a leitura no centro da cidade. O objectivo desta proposta “é proporcionar a criação de mobiliário urbano contemporâneo e artístico, bem como a sua colocação em espaços físicos no centro da cidade, para convidar os transeuntes a ficar mais um pouco, num acto de relaxamento e interacção social, associando o descanso à leitura”, pode ler-se no documento.
Além disso, acrescenta o mesmo documento, “deverá ser pensado o mobiliário com padrões energéticos eficientes ou na alimentação energética ser proveniente de fontes renováveis, nomeadamente de luz solar”.
Num ponto estratégico de circulação de pessoas no centro da cidade, continua a ler-se na proposta, “deverá ser colocada uma estação de auto-empréstimo de livros, revistas e jornais que possa servir de interesse à leitura presencial ou, se quiserem, domiciliária”. Ao alcance dos utilizadores a estação deverá aproximar o cidadão da Biblioteca de Leitura Pública mais próxima (Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva), projectado para ampliar a cobertura e a acessibilidade da biblioteca.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.